Todos os estados do Norte estão com mais de 60% dos leitos de UTI ocupados

Amazonas, Rondônia e Roraima são os estados que apresentam a situação mais grave na região, que sofre com a circulação da nova variante da Covid-19

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
29 de janeiro de 2021 às 19:21

 

Levantamento feito pela CNN com base em dados disponibilizados pelas secretarias estaduais revela que todos os estados da região Norte estão com mais de 60% dos leitos de UTI para Covid-19 ocupados.

Amazonas, Rondônia e Roraima são os estados que apresentam a situação mais grave na região, que sofre com a circulação da nova variante da Covid-19.

A situação se agrava na região devido ao novo momento da pandemia, em que capitais e cidades do interior estão lidando ao mesmo tempo com o recrudescimento de infecções pelo novo coronavírus, o que gera uma procura simultânea por ajuda nos sistemas públicos e privados de saúde. 

O Amazonas tem, de acordo com os últimos dados disponíveis, 90% dos leitos de UTI para Covid-19 ocupados e 100% de ocupação dos leitos de enfermaria. A fila de espera para um leito era, até ontem, de 617 pessoas.

Situação dramática no Amazonas

Análise feita pela Fiocruz/Amazônia revela que, desde dezembro do ano passado, a lotação dos leitos exclusivos das redes pública e privada gira em torno de 95%, taxa semelhante à de abril de 2020. “A expansão do número de leitos de UTI ocorreu de modo desproporcional ao aumento do número de casos confirmados”, indica estudo da Fiocruz. 

Daniel Barros, chefe da sala de acompanhamento da Fundação Vigilância em Saúde do Amazonas, afirmou que a disparada na ocupação de leitos vem desde a segunda quinzena de dezembro. E que, agora, pacientes com plano de saúde estão recorrendo a rede pública para tentar vaga em hospital. 

"A rede colapsou, mesmo com aumento na oferta de leitos, em apenas cinco dias"

Daniel Barros, chefe da sala de acompanhamento da Fundação Vigilância em Saúde do Amazonas


“Recebemos no SUS em média duas pessoas por dia, com carteirinha do plano, e que não encontram vaga em hospital. A rede colapsou, mesmo com aumento na oferta de leitos, em apenas cinco dias”, declarou Barros. 

A situação em Rondônia também é grave: 95% dos leitos de UTI estão ocupados, com 68% dos leitos de enfermaria cheios. Em Porto Velho, capital do estado, os leitos de UTI estavam com 97% de ocupação total (dados do dia 28).

Em Roraima, 74% dos leitos de UTI estão cheios, com 75% dos leitos de enfermaria com pacientes. Hospitais de referência do interior, como o Hospital Governador Ottomar de Sousa Pinto, já tem lotação esgotada de leitos.

O Amapá tem 81% de ocupação dos leitos de UTI, o Pará tem 80%; Acre 66% e Tocantins 60%. 

A CNN procurou as secretarias da Saúde de todos os estados da região Norte. Em nota, o Amazonas respondeu que “trabalha em diversas frentes para ampliar o atendimento de pacientes com Covid-19 no estado. De 15 a 29 de janeiro, 335 pacientes com Covid-19 foram levados de Manaus para concluir o tratamento em outros estados”, e que há previsão de abertura de 400 leitos de UTI. A reportagem será atualizada com os outros posicionamentos.