Frente Nacional de Prefeitos pede medidas restritivas e avaliação de lockdown

A entidade justificou que as recomendações são motivadas pelas novas variantes do vírus e escassez de vacinas

Beatriz Puente*, da CNN, no Rio de Janeiro
12 de março de 2021 às 15:41
Movimento na Paulista
Movimento na Avenida Paulista durante a pandemia da Covid-19
Foto: RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) divulgou uma nota nesta sexta-feira (12) recomendando aos governantes locais que adotem medidas de restrição da circulação, isolamento social, e que avaliem a decretação de lockdown. Nas últimas 24 horas, foram 2.286 mortes por Covid-19 em todo o país, o segundo maior número desde o início da pandemia. 

O documento divulgado pela FNP também afirma que as declarações do presidente Jair Bolsonaro “evidenciam a ineficaz coordenação nacional no enfrentamento à pandemia e ratificam a desconexão com a realidade, falta de compromisso com a Constituição Federal e com a vida”. A entidade também justificou que as recomendações são motivadas pelas novas variantes do vírus e escassez de vacinas. 

Nesta quinta-feira (11), o presidente do fórum de governadores, Wellington Dias (PT-PI), disse que a rede de saúde do País vive um "colapso nacional" e afirmou que há uma fila de até 40 mil pessoas esperando vagas em hospitais. Segundo sua assessoria, os dados estão presentes na regulação de leitos feita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

No início do mês, a Frente Nacional de Prefeitos fez uma lista de municípios interessados em participar de um consórcio para adquirir vacinas. Até agora, mais de 2.300 prefeituras assinaram o documento.

*sob supervisão de Maria Mazzei