Com 85.663 novos casos, Brasil ultrapassa Índia em contaminados pela Covid-19

Com números desta sexta-feira (12), país atingiu 11.363.380 contaminados, enquanto a Índia registra 11.308.846

Luana Franzão*, da CNN, em São Paulo
12 de março de 2021 às 22:00 | Atualizado 13 de março de 2021 às 00:20

O Brasil ultrapassou a Índia no número de contaminados pela Covid-19 nesta sexta-feira (12), de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde e pela Universidade Johns Hopkins. Somados os 85.663 casos acrescentados neste dia à contagem, o país atingiu 11.363.380 contaminados, enquanto a Índia registra 11.308.846.

Agora, o Brasil toma o segundo lugar no mundo em contaminações pela Covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 29.342.894 casos confirmados, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Leitos de UTI no Hospital Ronaldo Gazzola, na zona norte do Rio de Janeiro, durante pandemia da Covid-19
Foto: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo (10.mar.2021)

Os números de mortes chamam a atenção para a situação de agravamento da pandemia, com três recordes batidos apenas neste mês. Ao todo são 275.105 óbitos, 2.216 contabilizados neste dia. O Brasil já ocupa o segundo lugar em mortes pelo novo coronavírus no mundo, também atrás dos Estados Unidos, que têm 532.384.

O Brasil passa pelo momento mais crítico da pandemia agora, de acordo com especialistas. Com os números de contágio e de morte mais altos do que em qualquer outro momento desde a chegada da Covid-19 no país, os hospitais se mostram sobrecarregados pelas vítimas da doença.

Unidades de Tratamento Intensivo, as UTIs, estão chegando à capacidade máxima em diversos estados, e alguns locais têm fila de espera por esse tipo de leito — tanto na rede pública, quanto na particular.

Na capital paulista, cerca de 84% dos leitos de UTI estão ocupados, em uma média entre hospitais da rede pública e particular, de acordo com dados lançados pela Secretaria da Saúde do estado. Em 15 de fevereiro, este número era de apenas 67%.

Segundo números levantados pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) em uma série histórica, divulgados na terça-feira (9), 15 capitais têm mais de 90% de suas UTIs ocupadas, e apenas duas capitais não ultrapassaram os 80%.

A fundação calcula uma lotação de 100% no Tratamento Intensivo em Porto Velho, capital de Rondônia, 99% em Rio Branco, capital do Acre, e 98% em Goiânia e Teresina.

*sob supervisão de Daniel Fernandes