Por conta do tempo bom, prefeito de Santos antecipa fechamento das praias

Pelas novas imposições do governo de São Paulo, a proibição do uso total da faixa de areia estaria em vigor somente a partir de segunda-feira (15)

Produzido por Layane Serrano, da CNN em São Paulo
13 de março de 2021 às 12:00

As praias de Santos estão interditadas a partir deste sábado (13) e até enquanto durar a fase emergencial do Plano São Paulo. Segundo o prefeito Rogério Santos, o bom tempo na baixada santista fez com que ele tomasse da decisão de adiantar as imposições do governo.

“Nós aqui da baixada santista, nove municípios ao todo, através do nosso conselho, tomamos a decisão de acatar o decreto do estado e aqui na cidade de Santos, antecipamos. O fechamento das praias, conforme o decreto estadual seria após o fim de semana, a partir de segunda-feira (15). Por conta do tempo bom, aqui em Santos nós antecipamos este fechamento com gradiços e cerquites”, afirma.

Com bloqueio ao acesso às praias de Santos, a faixa de areia ficou vazia na manhã deste sábado (13)
Foto: Leo Orestes/Framephoto/Estadão Conteúdo

Para Rogério, o fechamento das praias é fundamental, visto que a região atrai muitos turistas e também pessoas que possuem segunda residência próximo às praias. 

“Solicitamos que se façam barreiras não sanitárias, nem barreiras impeditivas, mas barreiras orientativas já nas três estradas de acesso à baixada santista, para que a Polícia Rodoviária possa abordar de maneira educativa, de maneira orientativa, para que as pessoas não desçam [para o litoral]", afirma.

O prefeito disse que 12% da população de Santos está vacinada, com isso, é a segunda cidade do estado, em termos percentuais, com maios taxa de imunização. Os leitos de UTI estão com ocupação em 70%, abaixo da média móvel do estado, mas ainda assim, se for preciso, Rogério Santos irá adotar o lockdown, já que, por enquanto, o calçadão está com livre acesso.

"Eu fechei as praias, mas deixei o calçadão livre, até porque as pessoas fazem pequenas caminhadas, praticam atividades físicas e considero exercício físico fundamental na recuperação e prevenção. Mas se não houver apoio e adesão da população, seremos mais restritivos. E serei rígido se houver necessidade de lockdown”, ressalta.