PF investiga falsa oferta de 200 milhões de doses de vacinas ao governo

Golpistas tentaram arrancar R$ 270 milhões do Ministério da Saúde, que desconfiou após reunião

Galton Sé Da CNN, em Brasília
25 de março de 2021 às 23:41 | Atualizado 26 de março de 2021 às 06:40

A Polícia Federal está investigando uma oferta falsa de 200 milhões de doses contra a Covid-19 feita ao Ministério da Saúde.

Dois homens se passaram por representantes de farmacêuticas e laboratórios, apresentando credenciais falsas como se fizessem parte de um grande consórcio produtor de vacinas. A própria pasta fez a denúncia.

A reunião aconteceu presencialmente no ministério e eles chegaram a afirmar que poderiam antecipar 10 milhões de doses, mediante um sinal de R$ 270 milhões. Após o encontro, a PF foi acionada e passou a investigar o caso.

Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em Minas Gerais e no Espírito Santo. Eles não foram presos, mas podem responder por uma série de crimes, como estelionato, associação criminosa, falsificação de documento e de produto destinado a fins medicinais. Um dos suspeitos estava com Covid-19.

Segundo o diretor de inteligência da Polícia Federal, Alexandre da Silveira Isbarrola, eles tentaram se valer de que, no caso de vacinas, o pagamento por órgãos públicos pode ser feitos de forma antecipada. 

Ministério da Saúde não informou sobre o "possível ataque para preservar provas e dados", diz o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco
Foto: Divulgação