Governo do RJ fará intervenção em municípios para vacinar trabalhadores da Saúde

A avaliação do governo é de que as prefeituras descumpriram o Plano Nacional de Imunizações (PNI), que determinava priorizar essas pessoas

Pedro Duran, da CNN, no Rio de Janeiro
31 de março de 2021 às 18:19 | Atualizado 31 de março de 2021 às 18:34
Profissional prepara vacina contra Covid-19 para aplicação no Rio de Janeiro
Profissional prepara vacina contra Covid-19 para aplicação no Rio de Janeiro
Foto: Delmiro Júnior/Agência O Dia/Estadão Conteúdo (19.mar.2021)

O governo do Rio de Janeiro está mapeando hospitais de todo o estado que estejam atendendo pacientes com o novo coronavírus e vai passar a vacinar todos os trabalhadores da Saúde desses lugares por conta própria. A decisão foi tomada depois que as prefeituras de parte dos 92 municípios ignoraram trabalhadores da linha de frente e avançaram na vacinação dos idosos.

A avaliação do governo é de que as prefeituras descumpriram o Plano Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, que determinava priorizar essas pessoas, e usaram parte das doses repassadas para avançar nas faixas etárias. 

Com isso, deixaram de receber a vacina bombeiros, maqueiros, profissionais do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), recepcionistas e ascensoristas de hospitais e até mesmo aplicadores do próprio imunizante.

“O estado está garantindo aos trabalhadores de saúde o seu direito, que está definido no Programa Nacional de Imunização. Vamos acelerar o processo, já que as prefeituras escolheram uma estratégia fora do PNI”, disse à CNN o secretário estadual da Saúde, Carlos Chaves.

Nas contas do governo, 324 mil trabalhadores da área da saúde deveriam ter sido vacinados antes do avanço para faixas etárias menores. A Secretaria Estadual da Saúde quer começar a intervenção pelos hospitais que estão atendendo pacientes com o novo coronavírus e depois chegar ao restante desses trabalhadores.

Para isso, eles enviaram ofícios para redes de hospitais particulares, como Amil, Unimed e Rede D’Or questionando quantos trabalhadores ficaram de fora da imunização dos municípios. A intenção é que já na próxima semana a vacina comece a chegar para essas pessoas, com doses retidas pelo governo.

Além dos hospitais particulares, também serão vacinados funcionários de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), quartéis dos bombeiros que estão aplicando a vacina, cinco hospitais federais e hospitais universitários.