Profissionais da educação precisam fazer cadastro para receber voucher de vacina

O secretário da Educação, Rossieli Soares, afirmou que até quinta-feira (8) o governo do estado poderá anunciar mudanças em relação às atividades nas escolas

Produzido por Layane Serrano, da CNN São Paulo
03 de abril de 2021 às 12:28

O secretário da Educação, Rossieli Soares, anunciou na quinta-feira (1º) que os profissionais da educação já podem realizar o cadastro para receberem a primeira dose da vacina da Covid-19. A primeira etapa da imunização para a Educação terá início no dia 12 de abril, para servidores e funcionários a partir de 47 anos.

“No caso da Educação existe a obrigatoriedade do cadastro para que cada pessoa receba um voucher via e-mail com o CPF e um QR Code que autoriza a aplicação da vacina. Esta é uma forma de precaver eventuais fraudes”, ressalta.

De acordo com o secretário, com uma boa organização será possível a criação de duas filas paralelas de vacina em São Paulo, abrangendo o grupo alvo previsto em todo o território nacional, mas também servidores da educação. 

"Se você trabalha dentro da escola, com a limpeza ou é a merendeira, você também está dentro. O secretário da escola ou o gerente de organização escolar, como são chamados, também são funções que estão nesta primeira etapa". Segundo Rossieli, nesta leva quase 40% das pessoas da educação que já serão vacinadas.

Atividades presenciais nas escolas

O secretário da Educação destacou que "educação em São Paulo é essencial e não fecha". Atualmente, as escolas estão funcionando com 35% da capacidade para alunos com perfis específicos. “Estando na fase emergencial, vermelha ou laranja permanecem os 35%, a regra não muda”, destaca. "Até a quarta (7) ou quinta-feira (8) a gente deve anunciar como vai ficar a próxima semana”.

“500 mil alunos têm frequentado por conta da alimentação ou porque não têm equipamento em casa. Estes fazem as aulas presenciais. O que a gente pode começar a abranger a partir do dia 12 são outros públicos que tenham dificuldades de apredizagem e que poderão, eventualmente, passar a frequentar”, afirma.

O Secretário defende que as escolas precisam estar aberta para quem precisa, mas quem puder, tem do dever de ficar em casa”. 

O secretário da Educação, Rossieli Soares
O secretário da Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares
Foto: Reprodução / CNN