Sem sedação, intubação vira barbárie, diz médico sobre falta de remédios

Jaques Sztajnbok, chefe da UTI do Emílio Ribas, diz que hospitais estão utilizando medicamentos alternativos para driblar falta de itens do kit intubação

Produzido por Vinícius Tadeu, da CNN em São Paulo*
16 de abril de 2021 às 11:40 | Atualizado 16 de abril de 2021 às 12:47

 O Brasil vive uma escassez de remédios usados nos kit intubação e segundo Jaques Sztajnbok, chefe da UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, a falta destes medicamentos pode fazer com que médicos sejam forçados a amarrar pacientes na cama para manter a intubação sem a indução do coma.

“A alternativa para a falta de sedação é a barbárie. Se o paciente estiver usando a respiração mecânica sem estar sedado, terá que ser amarrado ao leito pela falta de contenção farmacológica,” explicou o médico.

 

Sztajnbok diz que, no momento, os hospitais, como o Emílio Ribas, estão utilizando medicamentos alternativos para driblar a falta de itens. “Às vezes uma droga que não é a primeira opção, por ser mais antiga, é usada nesses casos por falta de opção. Também estamos estudamos a substituição de componentes por drogas de via oral que não são as ideais para serem usadas em pacientes em tratamento intensivo. Estamos trabalhando com um olho no paciente e outro no estoque.”

*(supervisionado por Jorge Fernando Rodrigues)

Famílias enfrentam grandes dívidas ao procurarem leitos de UTI em SP
Famílias enfrentam grandes dívidas ao procurarem leitos de UTI particulares em SP (21.mar.2021)
Foto: Reprodução / CNN