Covid-19: Saúde orienta vacinação de pessoas com comorbidade de acordo com idade

Recomendação para governos municipais e estaduais é que pessoas sejam convocadas das mais velhas para as mais novas, começando pela faixa de 55 a 59 anos

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
21 de abril de 2021 às 11:04 | Atualizado 21 de abril de 2021 às 11:08
Idoso recebe vacina contra Covid-19 em Nova Granada (SP), em 2 de março
Ministério da Saúde recomenda vacinação de pessoas com comorbidades de acordo com idade
Foto: Divulgação/Prefeitura de Nova Granada (2.mar.2021)

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (21) orientações para a vacinação contra o novo coronavírus de pessoas com comorbidades, próximo grupo prioritário na fila estabelecida pelo Plano Nacional de Imunização (PNI).

A recomendação é que elas sejam convocadas pelos governos estaduais e municipais de acordo com suas idades, dos mais velhos para os mais novos. Assim, serão vacinadas pessoas de 55 a 59 anos, depois de 50 a 54 anos, e assim por diante

De acordo com a pasta, é importante que as pessoas pertencentes ao grupo das comorbidades estejam pré-cadastradas no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (Sipni) ou em alguma unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). 

No entanto, quem não estiver nesses dois sistemas poderá apresentar, no momento da vacinação, um comprovante que demonstre pertencer a um destes grupos de risco, incluindo exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica. 

“O grupo prioritário das comorbidades é um dos maiores da ordem estabelecida pelo Plano de Vacinação do Ministério da Saúde. São mais de 17 milhões de pessoas que, muito em breve, serão vacinadas. Esse movimento será muito importante para proteger as pessoas que estão nesse grupo de risco e, também, para a ampliação da vacinação no Brasil”, afirmou, em nota, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros. 

Fazem parte do grupo de comorbidades descrito pelo Ministério da Saúde as pessoas que apresentam as seguintes doenças:

  • diabetes mellitus
  • doenças pneumopatias crônicas graves (incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave)
  • hipertensão arterial resistente (HAR)
  • hipertensão arterial estágio 3
  • hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo
  • insuficiência cardíaca
  • cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
  • cardiopatia hipertensiva
  • síndromes coronarianas
  • valvopatias
  • miocardiopatias e pericardiopatias
  • doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
  • arritmias cardíacas
  • cardiopatias congênita no adulto
  • próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
  • doença cerebrovascular
  • doença renal crônica

Também entram nessa classificação:

  • Imunossuprimidos
  • Anemia falciforme
  • Obesidade mórbida
  • Síndrome de down
  • Cirrose hepática