Brasil registra 2.027 mortes e 45.178 novos casos de Covid-19 em 24 h

Em abril, país atingiu o pico no número de mortes, registrando pela primeira vez mais de 4 mil óbitos em 24 horas

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo
22 de abril de 2021 às 17:58 | Atualizado 22 de abril de 2021 às 18:42
Enterro no cemitério da Vila Formosa, em SP, em meio à pandemia de Covid-19
Enterro no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, em meio à pandemia de Covid-19
Foto: Amanda Perobelli/Reuters (25.mar.2021)

O Brasil registrou nas últimas 24 horas 2.027 mortes e 45.178 novos casos de Covid-19, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (22) pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Com a atualização, o Brasil chegou ao total de 383.502 mortes e 14.167.973 infectados pela doença desde março de 2020.

Em abril, o país atingiu o pico no número de mortes, registrando pela primeira vez mais de 4 mil óbitos no período de 24 horas. A semana mais letal da pandemia, entre 4 e 10 de abril, teve o total de 21.141 mortes.

A última semana também manteve um patamar alto no acumulado de mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus, com 20.344 vidas perdidas entre os dias 11 e 17 de abril.

São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia estão entre os estados brasileiros com índices mais altos de infectados e mortes causadas pela Covid-19. 

Amazonas

Um dos estados brasileiros mais afetados pela pandemia, com mais de 12 mil mortes registradas e mais de 365 mil pessoas infectadas, o Amazonas se prepara para enfrentar um novo aumento no número de casos da Covid-19 em maio.

A estratégia, que não ocorreu nas duas primeiras ondas, é o reforço no sistema de saúde com habilitação de leitos de UTI e ampliação da estrutura hospitalar, principalmente, no interior. Quem deu a previsão foi o governador, Wilson Lima (PSC), logo depois de conversar com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em Brasília, nesta quinta-feira (22).

“O estado do Amazonas tem sido o primeiro a ser agravado, depois, acontece no restante do país. Assim se deu na primeira onda e nessa segunda. Nós esperamos que essa terceira não seja tão forte quanto a segunda”, afirmou Wilson Lima.

Ajuda da Espanha

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quarta-feira (21) que a Espanha vai doar 80 mil itens do kit intubação para o Brasil. A previsão de chegada dos insumos é na próxima semana.

O ministro destacou também a doação de 2 milhões de kits feita pela Vale, e afirmou que o ministério “também espera uma execução contratual com a indústria nacional de 400 mil itens do kit intubação até o final do mês”.