SP começa a vacinar pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades nesta sexta (14)

Para receber imunizante contra Covid-19, é preciso comprovar comorbidade com exame, receita ou prescrição médica; deficientes precisam levar comprovante do BPC

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2021 às 07:33 | Atualizado 14 de maio de 2021 às 08:46

O estado de São Paulo começa a vacinar contra o novo coronavírus, nesta sexta-feira (14), as pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades ou com deficiências. O governo estadual estima que essa etapa da imunização possa alcançar até 865 mil pessoas.

Essa faixa etária começa a ser imunizada dois dias depois de as pessoas entre 55 e 59 anos, também com comorbidade ou deficiência, passarem a ser vacinadas contra Covid-19 no estado.

Para receber a primeira dose da vacina, as pessoas precisam comprovar que tem uma das comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde (veja lista abaixo), com exames, receitas ou relatórios de prescrição médica.

No caso das pessoas com deficiência, é preciso apresentar comprovante do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

Para receber as doses, além da documentação já citada, também terão validade os cadastros previamente existentes em Unidades Básicas de Saúde (UBS).

“O que isso quer dizer? Que esses pacientes que já fazem parte do seu território e frequentam, vão à UBS, fazem seu controle na unidade, seja de diabetes ou qualquer outra comorbidade, este cadastro na Unidade Básica de Saúde será usado para vacinação”, explicou, na quarta-feira (12), a coordenadora-geral do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula.

A orientação vale tanto para as pessoas com comorbidades nas faixas etárias de 50 a 59 anos quanto para as pessoas com Down, em hemodiálise e transplantados – para este último grupo, é também recomendável a apresentação de receita médica do medicamento imunossupressor em utilização pelo paciente.

Veja a lista de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde:

  • Doenças Cardiovasculares
  • Insuficiência cardíaca (IC)
  • Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e Pericardiopatias
  • Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênitas no adulto
  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão arterial resistente (HAR)
  • Hipertensão arterial – estágio 3
  • Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade
  • Doença Cerebrovascular
  • Doença renal crônica
  • Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer).
  • Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)
  • Obesidade mórbida
  • Cirrose hepática

Próxima etapa de vacinação

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou na quarta-feira (12) que as pessoas com comorbidades e deficiências permanentes com idade entre 45 e 49 anos começarão a ser imunizadas na próxima sexta-feira (21).

“A partir de 21 de maio, sexta-feira da semana que vem, serão vacinadas as pessoas com comorbidade na faixa etária entre 45 e 49 anos. E também nesta mesma data, 21 de maio, começaremos a vacinação das pessoas com deficiência permanente na mesma faixa etária, de 45 a 49 anos”, disse o governador, em entrevista no Palácio dos Bandeirantes.

“A expectativa é imunizar 695 mil pessoas nesta faixa etária. Muito importante o trabalho de imunização das pessoas com comorbidade no estado de são Paulo”, completou Doria.

O número engloba 670 mil pessoas que possuem doenças crônicas e 25 mil deficientes contemplados com o BPC.

(Com informações da Agência Brasil)