Brasil tem queda de 18,3% na aplicação de vacinas contra Covid-19 em uma semana

Aproximadamente 19% da população brasileira já foi imunizada contra o novo coronavírus

Anthony Wells e Giovanna Bronze, da CNN em São Paulo
20 de maio de 2021 às 07:35 | Atualizado 20 de maio de 2021 às 16:36

Dados levantados pela CNN mostram que o Brasil teve queda de 18,3% na aplicação de vacinas contra a Covid-19. A redução foi registrada no intervalo de uma semana. Segundo o levantamento, se o país mantiver esse ritmo de vacinação, toda população brasileira só será imunizada contra a doença daqui a um ano e cinco meses.

Entre os dias 13 e 19 de maio o Brasil aplicou pouco mais de 4,3 milhões de vacinas contra a Covid-19. Na semana anterior, entre os dias 6 e 12 de maio, foram pouco mais de 5,3 milhões de doses.

Portanto, entre os dias 13 e 19 de maio, o país aplicou em média cerca de 625 mil doses da vacina por dia. Isso somando a primeira e segunda dose.

Já na semana anterior, a média registrada foi de mais de 766 mil doses. 

Até o momento mais de 60 milhões de doses da vacina foram aplicadas em todo o país, sendo cerca de 40 milhões como primeira dose e 20 milhões como segunda dose. Aproximadamente 19% da população brasileira já foi imunizada contra o novo coronavírus.

As vacinas contra a Covid-19 garantem proteção porque previnem a doença, especialmente nas formas graves, reduzindo as chances de morte e internações.

Embora não impeçam o contágio e nem a transmissão do vírus, a vacinação é essencial, já que induz o sistema de defesa do corpo a produzir imunidade contra o coronavírus pela ação de anticorpos específicos, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

A CNN entrou em contato com a Confederação Nacional de Municípios para entender a queda. Leia a nota:

"A Confederação Nacional de Municípios (CNM) destaca que os municípios seguem os Informes  Técnicos do Ministério da Saúde. Em cada remessa de doses, a Coordenação Geral do Programa 
Nacional de Imunizações (CGPNI) indica quais devem ser utilizadas para D1 ou D2 e para quais grupos prioritários devem ser direcionadas essas doses. Importante ressaltar que os Municípios 
têm capacidade para aplicar cerca de 1,5 milhão de doses por dia, caso haja vacinas disponíveis. A vacina da Pfizer, que já integra o Programa de Vacinação, está indicada apenas para capitais. 
Além disso, parte das vacinas recebidas têm sido guardadas para completar o esquema vacinal com a segunda dose. 

Pesquisa da CNM realizada entre os dias 10 e 13 de maio apontou que mais de mil municípios ficaram sem imunizantes para completar o esquema vacinal da população que já havia recebido a primeira dose

Fora essa questão, a progressão da vacinação não se deu na velocidade esperada pela queda nas quantidades estimadas pelo Ministério aos Municípios das vacinas produzidas pelo Butantan e pela Fiocruz."

Com informações de Julyanne Jucá, Ludmila Candal, Vital Neto e Victória Cócolo