SP e RJ têm estratégia distinta para monitorar passageiros de voo com nova cepa

Homem infectado pela cepa segue em isolamento na cidade do Rio de Janeiro

Pedro Duran, Anne Barbosa e Beatriz Puente, da CNN, em São Paulo e no Rio de Janeiro
27 de maio de 2021 às 22:49
Viajante com máscara chega ao aeroporto de Guarulhos vindo da Europa
Viajante com máscara chega ao aeroporto de Guarulhos
Foto: Amanda Perobelli - 27.fev.2020/ Reuters

Pelo menos 41 pessoas estão sendo monitoradas após um homem ter tido a infecção pela variante do coronavírus proveniente da Índia confirmada pelo Instituto Adolfo Lutz. São passageiros dos voos que trouxeram o homem de 32 anos da Índia para o Brasil e que o levaram de Guarulhos, em São Paulo, para o Rio de Janeiro, além de pessoas que podem ter tido contato com ele na rota percorrida. Estão empenhadas no monitoramento e testagem dessas pessoas as secretarias de saúde de São Paulo, Rio de Janeiro e Campos dos Goytacazes.

No caso de São Paulo, são duas pessoas que não tinham sido testadas para o coronavírus até o fim desta quinta-feira, (27). Um deles esteve no voo que saiu da Índia, passou por Doha e chegou ao Guarulhos, e o outro no voo doméstico de Guarulhos para o Rio de Janeiro.

A CNN apurou que a ação da Secretaria Municipal de Saúde segue o plano municipal para enfrentar a Covid-19 que prevê a testagem apenas dos que tiverem manifestado sintomas da doença. Os paulistanos que estão sendo monitorados recusaram a oferta da prefeitura de ficarem hospedadas em um hotel destinado ao isolamento e estão cumprindo quarentena em suas casas em São Paulo.

A prefeitura do Rio de Janeiro tomou a medida oposta e testou todas as 29 pessoas que tiveram contato de alguma forma com o homem. “Também a gente está em articulação com a secretaria municipal de São Paulo e outras secretarias municipais sob a coordenação, nesse processo, do Ministério da Saúde. (...) Até agora não temos notícia de nenhum teste positivo dos contactantes dessa variante indiana.”, disse o secretário de saúde da cidade, Daniel Soranz.

Já a prefeitura de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, adotou uma estratégia intermediária. Das dez pessoas monitoradas porque teriam tido contato com o homem, dois fizeram testes do tipo PCR e terão o resultado informado nesta sexta-feira. Se eles tiverem o diagnóstico de Covid-19 confirmado, as amostras serão encaminhadas para analisar se trata-se da variante. Ambos já testaram negativo para a Covid-19 na última terça-feira (25) e estão em isolamento domiciliar.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que comunicou o caso ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), órgão ligado ao Ministério da Saúde e que teria avisado estados e municípios envolvidos.

O homem infectado com a variante originária da Índia tinha sintomas da doença. Segundo o documento divulgado pelo CIEVS de Campos, ele apresentava tosse e ardência nas narinas. O viajante retornou ao Brasil no último sábado (22), pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), onde foi testado. Antes que saísse o resultado, ele foi autorizado a embarcar para o Rio de Janeiro, em outro voo. O homem pernoitou em um hotel da capital fluminense e foi de carro no domingo, para o interior.

Em nota, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que não há exigência de testes para embarques nacionais e não é competência da Anvisa o monitoramento de pessoas em trânsito entre estados e municípios. A Anvisa também informou que o viajante recebeu o resultado positivo para Covid-19 quando já estava no estado fluminense.