Desobrigar uso de máscara é dar sinal invertido do que precisamos, diz médico

Em entrevista à CNN, vice-presidente da SBI, Alberto Chebabo, afirmou que a medida sugerida por Bolsonaro 'não tem sentido'

Produzido por Camille Couto, da CNN, no Rio de Janeiro
10 de junho de 2021 às 21:49 | Atualizado 10 de junho de 2021 às 21:50

O vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Alberto Chebabo, disse nesta quinta-feira (10), em entrevista à CNN, que desobrigar o uso de máscaras no Brasil é um sinal "completamente invertido do que precisamos".

Na tarde de hoje, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que discutiu com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção individual para quem já foi vacinado contra a Covid-19 e também para quem já a contraiu.

Na avaliação do presidente, o uso de máscara deve ser obrigatório apenas para quem esteja infectado com a Covid-19.

Segundo o vice-presidente da SBI, a medida sugerida por Bolsonaro "não tem sentido", porque a vacinação diminui o risco de infecções e agravamento dos casos de Covid-19, mas não elimina o risco da transmissão da doença.

"Neste momento, precisamos intensificar o uso de máscaras na população de uma forma geral, independentemente da vacinação", afirmou Chebabo sobre a ideia.

"Só vamos conseguir eliminar essa medida e diminuir as questões de distanciamento quando atingirmos um percentual de cobertura vacinal muito alto, uma baixa circulação viral e número de casos e óbitos reduzidos."

Orientação de órgãos de saúde

Apesar de pessoas que tiveram a Covid-19 desenvolverem anticorpos para a doença, esta proteção não é considerada definitiva, diante do risco de reinfecção e das variantes do novo coronavírus. A orientação dos órgãos de saúde é que mesmo pessoas que já tenham tido a Covid-19 precisam se vacinar contra a doença.

Após os primeiros países optarem por autorizar a dispensa do uso de máscaras por pessoas vacinadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu cautela aos governos. Segundo a OMS, a dispensa desses cuidados pode acontecer quando não há mais transmissão comunitária da doença e não depende apenas da vacinação contra a Covid-19.

O vice-presidente da SBI, Alberto Chebabo, em entrevista à CNN
O vice-presidente da SBI, Alberto Chebabo, afirmou à CNN que o uso de máscaras deve ser intensificado (10.jun.2021)
Foto: Reprodução / CNN