Covid-19: Britânico de 72 anos testa positivo por 10 meses

No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes falou sobre o caso de homem que foi curado após 300 dias e 40 diagnósticos positivos para o coronavírus

Raphael Florêncio, da CNN, em São Paulo
07 de julho de 2021 às 09:21

Na edição desta quarta-feira (7) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre o homem, na Inglaterra, que está sendo tratado como o caso de Covid-19 mais longo já registrado no mundo até agora.

Dave Smith, de 72 anos, enfrentou a doença por 10 meses. Nesse período, foram cerca de 300 dias com a infecção, com mais de 40 testes do tipo PCR positivos e sete internações hospitalares. O idoso perdeu quase 60 kg durante o tratamento e relatou que nos piores momentos tinha crises de tosse que duravam até cinco horas.

"Em quase um ano, ele apresentou mais de 40 testes positivos para o coronavírus, comprovando a resistência do vírus durante todo esse processo", avaliou o médico.

"O vírus adquiriu mutações documentadas e medicamentos que foram testados no seu tratamento, como o Remdesvir, não apresentaram boa resposta. Mas o tratamento baseado em anticorpos monoclonais foi efetivo no seu caso", disse Gomes. "Lembrando que os anticorpos monoclonais são desenvolvidos em laboratório e já conferem combate direto ao coronavírus."

"Em 300 dias de combate ao coronavírus, o próprio corpo vai mudando no decorrer desse tempo porque se imagina o gasto energético desse processo. Isso mostra que o sistema imunológico desse paciente merece ser investigado assim como as características do coronavírus. Se aparece um caso, certamente podem surgir outros que estão espalhados por aí e ainda não foram identificados", completou o neurocirurgião.

No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes falou sobre caso de britânico que testou positivo para Covid-19 por quase 1 ano
Foto: CNN Brasil (7.jul.2021)