Há dados consistentes sobre vacinação contra Covid em adolescentes, diz pediatra

Segundo Marco Aurélio Sáfadi, a prioridade na vacinação de menores de 18 anos deve ser o grupo com comorbidades

Produzido por Elis Franco, da CNN, em São Paulo
12 de julho de 2021 às 16:49 | Atualizado 12 de julho de 2021 às 16:55

O presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Marco Aurélio Sáfadi, afirmou nesta segunda-feira (12), em entrevista à CNN, que há dados consistentes para que a vacinação de adolescentes seja adotada no Brasil.

“Há dados consistentes sobre vacinação em adolescentes. A ideia é priorizar esse grupo portador dessas condições. É uma estratégia usada em vários lugares do mundo. Quase toda Europa já vacina adolescentes com comorbidade, e, nos Estados Unidos, já se vacina todos os adolescentes”, afirmou Sáfadi.

Segundo Sáfadi, a mortalidade por Covid-19 em menores de 18 anos no Brasil é mais de 10 vezes maior do que na Europa. De acordo com o especialista, isso é um dos principais motivos para iniciar a vacinação nesta faixa etária.

“É preciso compreender a situação de cada país para vacinar adolescentes. Dados de mortalidade de adolescentes por Covid-19 no Reino Unido e Europa é de duas mortes por milhão de habitantes. No Brasil o número é de 30 mortes por milhão. Temos cerca de 15 vezes mais mortalidade de crianças e adolescentes do que em países europeus,” disse Sáfadi.

Segundo o especialista, em um primeiro momento, a prioridade deve ser vacinar adolescentes com comorbidades e grávidas menores de 18 anos.

Foto: Roberto Jimenez Mejias (Getty Images)