'DF solicitou 250 mil doses extras de vacina para o MS', diz secretário

Segundo o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, o DF vacinou cerca de 171 mil pessoas de fora, e cálculos de grupos foram abaixo do real

Produzido por Renata Souza, da CNN, em São Paulo*
18 de julho de 2021 às 16:37 | Atualizado 18 de julho de 2021 às 17:00

Em entrevista à CNN, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, disse que solicitou ao Ministério da Saúde a entrega de 250 mil doses de vacinas contra a Covid-19 para fazer a "correção" do número real de pessoas que foram vacinadas no DF. “Fizemos um levantamento agora, que foi encaminhado ao Ministério da Saúde", afirma.

Segundo o secretário, foram vacinados 11.344 idosos acima de 80 anos que não estavam previstos. Também receberam a vacina 25.047 profissionais a mais das forças de segurança,  40.445 trabalhadores a mais de educação e ensino e 25 mil trabalhadores de saúde além do previsto. 

De acordo com Osnei Okumoto, quatro documentações já foram encaminhados à pasta de Marcelo Queiroga comprovando o total de doses que teriam sido aplicadas a mais pelos postos do DF.

"Só de grupos, no total, vacinamos 105 mil pessoas a mais. Além disso foram em torno de 171 mil de fora do Distrito Federal. Nós encaminhamos estas informações ao Ministério da Saúde, para poder receber a compensação de doses. A solicitação do Distrito Federal foi de 250 mil doses para fazer esta correção.”

Ainda de acordo com o secretário, no começo de 2021 foi entregue um documento ao Ministério da Saúde informando que a pasta estaria "subestimando" o total de doses destinadas à região. 

Osnei explicou, também, que o sistema de saúde do Distrito Federal atende uma rede de municípios do entorno. “Fazem parte desta rede 31 municípios. Todos são cadastrados dentro do nosso sistema de saúde. Aqueles que têm comorbidade, quando precisaram ser vacinados, vieram aqui."

Profissional de saúde prepara dose da vacina Coronavac no Distrito Federal
Foto: Davidyson Damasceno/Ascom Iges/DF

Agendamento on-line

A Secretaria de Saúde do DF, diferentemente de outros municípios, adotou um sistema de agendamento on-line como condição para os moradores se vacinarem. “A gente utiliza o agendamento para poder facilitar a vacinação das pessoas sem aglomeração. Por isso, fizemos a inclusão de nove pessoas por hora em cada uma de nossas unidades", explica.

No entanto, o cadastramento tem gerado polêmica, e muitos estão tendo dificuldades para se vacinar. Osnei diz que o motivo é a "sobrecarga da rede".

“O DF tem, segundo o IBGE, 55 mil pessoas na faixa dos 40 anos. O que aconteceu nesse agendamento é que 220 mil pessoas entraram ao mesmo tempo. Às 15h deste sábado (17), todo mundo tentou fazer a inscrição, mas tinham quatro, cinco pessoas ao mesmo tempo da família tentando."

Ele também ressaltou que pessoas vulneráveis, sem acesso a celular e internet, não precisarão fazer cadastramento. 

* (sob supervisão de Layane Serrano)