Nave que pode ser a primeira a voar em Marte é nomeada por garota de 17 anos

Adolescente batizou o helicóptero que deve ser lançado em setembro deste ano. O nome: Ingenuity (engenhosidade, em português)

Alicia Lee, CNN
29 de abril de 2020 às 17:30
O helicóptero Ingenuity, da Nasa
Foto: Nasa/JPL Caltech (29.abr.2020)

A primeira aeronave a tentar um voo a motor em outro planeta ganhou um nome que faz jus à sua ousada tarefa: Ingenuity (engenhosidade, em português), escolhido pela adolescente de 17 anos, Vaneeza Rupani.

Rupani, uma estudante do ensino médio do estado do Alabama, nos Estados Unidos, ganhou a honra de nomear a nave após vencer um concurso de redação promovido pela Nasa. Em março, a agência já havia anunciado que seu próximo veículo de exploração seria chamado de Perseverance (perseverança, em português), baseado numa redação de um aluno da sétima série.

A redação de Rupani era uma das 28 mil enviadas por estudantes de todos os estados americanos.
"A engenhosidade e a genialidade das pessoas trabalhando duro para superar os desafios da viagem interplanetária são o que nos permitirá vivenciar as maravilhas da exploração espacial", escreveu a garota, de acordo com o comunicado da Nasa. "Engenhosidade é o que permite que as pessoas conquistem coisas incríveis, expandindo nossos horizontes até os cantos mais remotos do universo".

A adolescente Vaneeza Rupani, que nomeou o helicóptero da Nasa
Foto: Reprodução (29.abr.2020)

Rupani se interessa em astronomia desde criança, diz sua mãe, Nausheen Rupani. "No caminho diário para a escola, ela e o pai fingiam estar em uma nave espacial. Eles imaginavam ver planetas nos prédios, estrelas nos semáforos e davam-lhes nomes".

Ser selecionada é mais que emocionante, disse a adolescente. "[Achei] que engenhosidade seria um bom nome para o helicóptero porque é o que foi necessário para criá-lo", disse à Nasa. "A nave é um projeto incrível e estou empolgada de ser parte desta jornada".

O lançamento do Ingenuity e do Perseverance  está marcado para julho, com aterrissagem em fevereiro de 2021 na createra Jezero em Marte —local em que já existiu um lago há 3,5 bilhões de anos. Enquanto o rover coleta amostras de Marte, o helicóptero tentará voo, o que, se bem-sucedido, permitirá uma dimensão adicional às explorações da Nasa.

Aeronaves futuras poderão ajudar na investigação de relevos que são difíceis para o rover, como penhascos, cavernas e crateras profundas. Elas também poderão carregar instrumentos científicos.

As máquinas fazem parte do projeto Artemis, que planeja levar a primeira mulher e o próximo homem à Lua em 2024 e, eventualmente, enviar astronautas a Marte.

Leia também:

Após meses no espaço, astronautas voltam em planeta transformado por COVID-19

Cientistas descobrem planeta potencialmente habitável similar à Terra