Twitter demonstrou interesse em comprar operações americanas do TikTok

Microsoft é principal interessada para adquirir rede social, que deve ser vendida em até 45 dias para manter funcionamento nos EUA

Reuters
08 de agosto de 2020 às 21:58 | Atualizado 10 de agosto de 2020 às 12:57

O Twitter entrou em contato com a proprietária chinesa do TikTok, a ByteDance, para manifestar interesse em adquirir as operações americanas do app de compartilhamento de vídeos, disseram duas pessoas inteiradas do assunto à Reuters. Especialistas levantaram questionamentos sobre a capacidade do Twitter de reunir o financiamento necessário para fechar negócio. 

Não é claro se o Twitter conseguiria dar um lance mais alto que a Microsoft e completar uma operação tão transformativa nos 45 dias que o presidente dos EUA Donald Trump deu à ByteDance para aceitar uma compra, essas pessoas disseram neste sábado (8). 

O Twitter tem uma avaliação mercadológica próxima dos US$ 30 bilhões, quase o mesmo do TikTok, e precisaria levantar capital adicional para financiar a compra. 

Leia também:

TikTok e WeChat fora da App Store e do Google Play: o desejo de Trump

Trump assina decreto que bane TikTok em 45 dias se aplicativo não for vendido

"O Twitter vai ter dificuldade para reunir o financiamento necessário para adquirir ainda que só as operações americanas do TikTok. Ele não tem a capacidade suficiente de empréstimo", disse Erik Gordon, professor da Universidade de Michigan. 

"Se [o Twitter] tentar reunir um grupo de investidores, os termos serão duros. Os próprios acionistas do Twitter podem preferir que a gerência foque no seu negócio já existente", acrescentou. 

Uma das acionistas do Twitter, a empresa de capital privado Silver Lake, está interessada em ajudar a financiar um potencial negócio, uma das fontes disse. 

O Twitter também declarou privadamente que o seu lance enfrentaria menos escrutínio regulatório que um da Microsoft, e não enfrentaria pressão chinesa, visto que não é ativo naquele país, disseram. 

O TikTok, a ByteDance e o Twitter se recusaram a comentar. 

O TikTok ficou na mira dos parlamentares americanos com as preocupações de segurança nacional em torno da coleta de dados. 

Mais cedo nesta semana, Trump anunciou suspensão de transações americanas com os proprietários baseados na China do app de mensagens WeChat e TikTok, escalando as tensões entre os dois países. 

Trump declarou nesta semana que apoiaria a tentativa da Microsoft em comprar as operações do TikTok nos EUA se o governo americano recebesse uma "porção significativa" da compra. Ele disse que, de qualquer modo, irá banir o popular aplicativo em 15 de setembro. 

A Microsoft disse neste domingo (9) que almeja concluir as negociações até o meio de setembro.