Após acusação de escolha racista, Twitter diz que vai revisar algoritmo

Na linha do tempo da rede social, as miniaturas das fotos mostram, segundo exemplos de usuários, priorização de pessoas brancas

Carolina Figueiredo*, da CNN em São Paulo
21 de setembro de 2020 às 21:33 | Atualizado 22 de setembro de 2020 às 06:15
 

O Twitter afirmou, nesta segunda-feira (21), que vai revisar o motivo pelo qual, aparentemente, o algoritmo da rede privilegia a exibição imagens de pessoas brancas quando publicadas juntos com pessoas negras na mesma postagem.

Na linha do tempo da rede social, as miniaturas das fotos mostram, segundo exemplos de usuários, priorização de pessoas brancas, mesmo quando se trocam as posições das imagens. O viés foi apontado por diversos usuários da rede durante o último fim de semana. 

Leia também:

Vênus é um planeta da Rússia (segundo os russos)

Planetários de todo país vão transmitir a chegada da primavera online; veja como

Em resposta a um post que exemplificava o suposto racismo, o time de comunicação da rede social disse que testou o modelo antes de colocá-lo em prática e não encontrou nenhuma evidência de preconceito racial ou de gênero.

O Twitter declarou que, além de analisar o algoritmo novamente, vai abrir o código de programação para que outras pessoas possam revisar e replicar. 

 
Foto: Reprodução/ Twitter

"Tentando uma experiência horrível... Qual [foto] o algoritmo do Twitter escolherá: Mitch McConnell ou Barack Obama?", escreveu um usuário da rede no sábado (19).

 
Foto: Reprodução/ Twitter

No exemplo, uma imagem continha as fotos do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e do senador americano Mitch McConnell separadas por uma faixa. A miniatura da foto, que é a que aparece na linha do tempo dos usuários, mostrava apenas a imagem de McConnell. 

Usuários começaram então a fazer o experimento com diversas fotos de pessoas brancas e negras, apontando o viés do código de sempre escolher a pessoa branca da imagem.

Em um outro exemplo, foram colocadas 11 fotos de diferentes homens negros e apenas uma de um homem branco. Ainda assim, a miniatura mostrava apenas o homem branco. 

Em um post na rede, o diretor de tecnologia do Twitter, Parag Agrawal, afirmou que a questão levantada pelos usuários é muito importante. "Para resolver isso, fizemos uma análise em nosso modelo quando o enviamos, mas precisamos de melhoria contínua", disse.  

Agrawal elogiou o "teste público, aberto e rigoroso" e declarou estar ansioso para aprender com ele. 

(*Sob Supervisão de Giovanna Bronze)