Imagens aéreas mostram como a COVID-19 mudou os icônicos canais de Veneza

Fotos capturadas pela Agência Espacial Europeia mostram a redução no tráfego dos barcos

Sara Spary, CNN
16 de abril de 2020 às 21:38
Movimento náutico diminuiu consideravelmente nos canais de Veneza, na Itália (14.abr.2020)
Foto: Agência Espacial Europeia/Divulgação

A Agência Espacial Europeia publicou nesta semana duas fotos aéreas de Veneza, na Itália, tiradas com um ano de diferença, que ressaltam o impacto que a pandemia do novo coronavírus teve sobre os icônicos canais da cidade.

As imagens, uma capturada em 13 de abril e a outra, em 19 de abril de 2019, mostram como o número de barcos dentro da principal via náutica diminuiu desde o início da crise da COVID-19.

Em abril do ano passado, haviam dezenas de barcos no Grande Canal de Veneza e no canal Giudecca, como mostra a imagem abaixo:

Imagem aérea dos canais de Veneza, na Itália, registrada em 2019 
Foto: Agência Espacial Europeia/Divulgação (19.abr.2019)

Os retratos foram feitos pelo satélite Sentinel-2 da Agência Espacial Europeia, parte de um programa de observação da Terra e das mudanças ambientais.

Veneza, situada no nordeste da Itália numa baía banhada pelo mar Adriático, é famosa por seus românticos canais.

Desde que a Itália decretou quarentena nacional em 8 de março, a cidade, normalmente lotada de turistas, está quase vazia. 

Dias após o decreto, venezianos compartilharam fotos das lagoas com peixes —normalmente, não é possível vê-los por causa dos sedimentos levantados pelo movimento dos barcos. 

A Itália está entre os países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

De acordo com números da Agência de Proteção Civil desta quinta-feira (16), o país tem 168.941 casos confirmados e 22.170 mortes por COVID-19.