No verão europeu, será preciso reservar lugar em algumas praias


Al Goodman, da CNN
10 de maio de 2020 às 05:00
Praia de Canet d'en Berenguer, cidade mediterrânea ao norte de Valência

Praia de Canet d'en Berenguer, cidade mediterrânea ao norte de Valência

Foto: Prefeitura de Sanxenxo


Você faz reservas em restaurantes, ou pelo já fez alguma vez. Mas que tal reservar com antecedência para ter um lugar na areia da praia? É exatamente o que alguns banhistas terão que fazer na Espanha neste verão (que começa em 20 de junho no hemisfério norte), graças à crise do coronavírus.

Canet d'en Berenguer, uma cidade mediterrânea localizada ao norte de Valência, permitirá apenas cinco mil pessoas por dia (cerca da metade do número habitual) em sua praia local a fim de manter o distanciamento social. Os espaços na areia precisarão ser reservados com antecedência por meio de um aplicativo para celular.

“Este verão será muito diferente", disse à CNN Pere Joan Antoni Chordá, prefeito da cidade. “Haverá mais espaço entre você e o seu vizinho de praia. Será como uma praia da 'classe executiva'".

Canet usará uma planta com traçado geométrico para dividir a praia larga e plana em quadrados, cada um distante dois metros do outro. As seções serão delineadas colocando uma série de redes na areia parecidas com as de traves de futebol para acomodar grupos maiores de banhistas. Os visitantes poderão reservar uma sessão de banho de sol para a manhã ou a tarde, mas não para o dia todo.

Segundo o prefeito, será possível reservar qualquer área disponível, como acontece com as reservas online para poltronas no cinema, e os horários de chegada serão escalonados para evitar multidões.

Banhistas na praia principal da cidade espanhola de Sanxenxo receberão seus luga

Banhistas na praia principal da cidade espanhola de Sanxenxo receberão seus lugares por ordem de chegada

Foto: Courtesia Diario de Arousa

Controle de multidões na praia  

Os pontos de acesso à praia também devem ser reduzidos. Assim que chegarem e confirmarem sua reserva com a equipe local, os banhistas serão levados para a seção escolhida.

Para Antoni, reservas antecipadas e os horários de chegada escalonados são uma medida essencial. “A gente não seria capaz de controlar o fluxo de pessoas [sem as novas medidas]. Ficaria todo mundo junto, contaminando um ao outro", explicou.

Canet d'en Berenguer não é a única cidade espanhola a optar por limitar o acesso à praia neste verão.

Na Galicia, a cidade de Sanxenxo, à beira do Oceano Atlântico, só permitirá a entrada de banhistas por ordem de chegada. O prefeito Telmo Martin garante que não está preocupado com a formação de multidões nos pontos de acesso à praia.

“O turismo é responsável por 80% da nossa economia. Temos que encontrar soluções para que nosso povo se sinta seguro do ponto de vista da saúde. Peço que todos sejam responsáveis", disse Martin.

Situada a apenas uma hora de carro ao norte da fronteira portuguesa, Sanxenxo visa permitir um máximo de 75% de seus banhistas normais.

A cidade, um dos principais destinos turísticos do norte da Espanha, também está optando por seções delimitadas para banhistas na praia principal, com pelo menos 1,5 metro de distância entre eles. Além disso, serão adicionados postes de madeira com cordões para formar pequenos quadrados para apenas algumas pessoas, ou seções aumentadas para um grupo maior, de acordo com Martin.

Funcionários da prefeitura vão controlar o acesso à praia, acompanhando os banhistas em cada seção. No entanto, os banhistas não poderão mais ocupar um lugar o dia inteiro, deixando uma toalha ou sacola para marcar o espaço. Se saem para almoçar, perdem o lugar para outros, diz Martin.

Áreas de banho de sol demarcadas

Renderização mostra como as autoridades espalharão as redes no Canet d'en Bereng

Renderização mostra como as autoridades espalharão as redes no Canet d'en Berenguer

Foto: Prefeitura de Canet d'en Berenguer

As duas cidades planejam limpar as praias com mais frequência do que nos verões anteriores. Em Canet, as redes grossas colocadas na areia serão erguidas todas as manhãs para deixar passar as máquinas de limpeza.

Já em Sanxenxo, as máquinas de limpeza simplesmente poderão passar pelas fileiras de postes de madeira, como fazem os tratores no meio das vinhas. Banheiros públicos e as áreas de chuveiro também serão desinfetados regularmente.

Embora as duas cidades esperem abrir suas praias em junho, as datas confirmadas dependerão da suspensão do estado de emergência da Espanha, que está em vigor desde 14 de março. O governo espanhol acabou de começar a suspender lentamente as rígidas restrições de confinamento em casa. Mesmo assim, quaisquer outras mudanças dependem de baixas taxas de infecção em territórios específicos que, segundo as autoridades, devem ter hospitais equipados e prontos para lidar com uma possível segunda onda de coronavírus.

“É algo novo para todos nós", comentou Martin, membro do Partido Popular (conservador), que é prefeito de Sanxenxo há oito anos, em dois mandatos. “As pessoas já estão me dizendo que querem ainda mais espaço na praia", diz Antoni Chordá, de Canet, membro do Partido Socialista e eleito prefeito oito meses atrás.

De acordo com os prefeitos, Canet orçou 500 mil euros para o seu plano especial de praia neste verão, enquanto Sanxenxo incluirá o plano especial dentro do seu orçamento de 3,5 milhões de euros para as atividades de verão. Ambas as cidades têm populações permanentes menores, que quadruplicam nas férias de julho e agosto, época em que as casas de veraneio recebem seus donos e os turistas que passam o dia ou ficam em hotéis chegam às praias.

Com reservas ou não, o verão nessas duas cidades será um teste para ver se os banhistas podem ficar em suas áreas reservadas e longe de outras pessoas.