Este assento de avião pode proteger contra a Covid-19?


Francesca Street, da CNN
03 de junho de 2020 às 16:24
poltrona universal movement

A poltrona Interspace Lite foi desenvolvida como uma alternativa para os atuais assentos de avião, se adaptando ao distanciamento determinado pela Covid-19

Foto: Reprodução/Universal Movement

À medida que as conversas continuam sobre se, quando e como é seguro voar, os designers de assentos de avião vão esboçando conceitos sobre como será o futuro da aviação.

O projeto mais recente é o Interspace Lite, apresentado por Luke Miles, fundador da empresa de tecnologia de transporte Universal Movement.

Em dezembro de 2019, Miles estreou um novo design de assento chamado Interspace, projetado para facilitar o sono na classe econômica graças às "asas acolchoadas" que se dobram por trás dos dois lados do encosto. A CNN Travel testou o produto em seu lançamento em Londres.

Por causa da pandemia causada pelo coronavírus, o design do Interspace Lite foi retrabalhado e, de acordo com Miles, pode ser uma solução ativa para o distanciamento social a bordo.

Como outros projetos recentes de assento de avião inspirados pela pandemia, o Interspace Lite envolve a adição de um kit ao assento do meio do avião. Ou seja, ele também usa a ideia de que as companhias aéreas precisam bloquear temporariamente os assentos centrais para permitir melhor o distanciamento, mas não desejam alterar permanentemente o interior da cabine.

O que destaca esse conceito dos demais é a divisória entre o assento da janela e o do corredor – por não ser uma tela clara ou transparente, deixa os viajantes mais confortáveis e com mais privacidade. 

“Imagino que as pessoas não queiram que ele se pareça com algo médico", disse o designer à CNN Travel. “Não queremos lembrar as pessoas de onde elas estão, apenas que elas se sintam mais confortáveis."

Idealmente, a divisória seria feita do mesmo material do estofamento do assento do avião, embora parte do apelo esteja na aparência de retrofit (modernização de algo já existente).

O designer também previu uma maneira pela qual os passageiros de ambos os lados da divisória possam usar o assento do meio.

“Quando o avião estiver taxiando, decolando ou pousando, você precisa baixar o apoio de braço. No restante do voo, porém, poderá levantá-lo e será como se você tivesse um assento e meio na classe econômica", explicou.

Além de permitir ao passageiro se esticar durante o voo, esse espaço extra poderá funcionar como um local para guardar pertences.

No ar, em breve

Miles espera que a estética e os recursos deixem as pessoas mais confortáveis ao voar novamente.

De fato, se o designer e sua equipe conseguirem o que querem, talvez aviões com algum tipo de Interspace Lite já estejam no ar no meio até meados de setembro: a Universal Movement fez uma parceria com o fabricante de assentos de avião Safran para trazer o Interspace ao mercado o mais rápido possível.

“Há muito esforço para tornar o Interspace Lite operacional em pouco mais de três meses", contou.

Quentin Munier, vice-presidente executivo de estratégia e inovação da Safran, acrescentou que sua empresa está trabalhando em vários outros conceitos que ajudarão a tornar seguro o voo após a pandemia da Covid-19.

Ele deu o exemplo de uma viagem sem expor as mãos, usando os pés para ativar a mesa de refeições do assento com um pedal.

A empresa também está desenvolvendo um kit chamado Ringfence, que é como um biombo removível que pode ser colocado ao redor do assento de cada viajante.

Será o futuro do assento do meio?

Outros novos conceitos de interior de companhias aéreas que foram lançados nos últimos meses incluem a ideia da Aviointeriors de uma fila de três assentos econômicos com o assento do meio voltado para o lado oposto e o conceito do engenheiro francês Florian Barjot, PlanBay que também inclui um kit removível que pode ser colocado no assento do meio.

Leia também: 

Acessório em assentos de avião pode ajudar a manter distanciamento social

No dia 5 de maio, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que representa aéreas em todo o mundo, divulgou um comunicado sugerindo que não apoiava bloquear o assento do meio.

“As companhias aéreas estão lutando por sua sobrevivência. Eliminar o assento do meio aumentará os custos”, afirmou Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA, no comunicado. “Se isso puder ser compensado com tarifas mais altas, a era das viagens acessíveis chegará ao fim.

Poltrona do meio Interspace Lit

A poltrona Interspace Lite transforma a poltrona do meio nas fileiras dos aviões em uma divisória, para ajudar passageiros a manter distanciamento social

Foto: Divulgação/Universal Movement

Por outro lado, se as companhias aéreas não puderem recuperar os custos com tarifas mais altas, as empresas vão falir. Tampouco é uma boa opção quando o mundo precisará de uma forte conectividade para ajudar a iniciar a recuperação da devastação econômica da Covid-19.

Mas Munier acha que o Interspace Lite é viável e sugere que as companhias aéreas abracem a ideia. Ele não deu nomes, mas diz que as empresas entraram em contato com o Universal Movement após o lançamento do assento original da Interspace em dezembro e as discussões continuam em andamento.

“O tempo é essencial", diz ele. “Identificamos a tecnologia certa, os recursos certos e as formas de alcançá-la. Queremos que as pessoas voem novamente e que elas se sintam confortáveis ao fazê-lo. O setor foi nocauteado [pela crise]”, acrescenta Miles.