Hotéis apostam em promoções para atrair hóspedes na retomada das atividades

Segundo representante do setor, créditos anunciados pelo poder público quase não chegaram ao segmento

Da CNN
18 de julho de 2020 às 16:11

A flexibilização da quarentena em todo o país permite a reabertura dos hotéis, setor que chegou a fechar 90% dos estabelecimentos durante o período de isolamento social. O presidente do Instituto de Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (IDT-CEMA), Bruno Omori, explicou à CNN que o setor ainda não recebeu grande parte dos créditos anunciados pelos governos estaduais e federal e, por isso, a aposta para atrair os consumidores está em fazer ofertas.

"Hoje, 60% dos hotéis retomaram as atividades, mas ainda com menos de 10% da ocupação. Eles estão abrindo para preparar os protocolos de saúde e segurança, treinar os colaboradores e começar campanhas diferenciadas para retomar a demanda", disse Omori.

Segundo ele, menos de 2% do segmento turístico recebeu os créditos anunciados para a retomada do setor -- R$ 1 bilhão do estado de São Paulo e R$ 5 bilhões da União.

"Falo principalmente de pequenas empresas que, se isso não chegar, temos o grande risco de até 15% jamais reabrirem. Serão centenas de milhares de empregos perdidos no turismo", anunciou.

Leia e assista também:

Mesmo com permissão para reabrir, pontos turísticos do Rio continuam fechados

Retomada do turismo: conheça os destinos nacionais preferidos

Apesar da perspectiva, empresários apostam em inovações para aquecer o mercado e atrair os turistas.

"Quando tem uma baixa demanda e alta oferta, os valores caem. Então, todo mundo está se reinventando, não só em promoções de preços, mas com o que pode estar incluso num pacote, como alguma atividade ligada ao turismo da região. É uma oportunidade fantástica", completou Omori.

Pela sua avaliação, ele afirmou que o turismo doméstico será o primeiro que voltará.

"O pessoal vai procurar viajar próximo, usando o próprio carro, até porque está muito caro o dólar no Brasil. É a oportunidade de fortalecer o turismo interno e essas relações de regionalização para conhecer vários pontos nacionais com valor diferenciado."

(Edição: Bernardo Barbosa)