Dia Internacional do Café: onde achar melhores cafés do mundo e como são feitos


Elizabeth Wallace e Sarah Reid, da CNN
01 de outubro de 2020 às 17:07

Não que você precise de uma desculpa, mas em homenagem ao Dia Internacional do Café de 2020, nós gostaríamos de fazer um brinde com xícaras.

Nosso amor por café vai além da rede de Seattle que acrescentou as palavras tall, grande e venti ao nosso vocabulário diário. 

Leia também:

A maneira mais saudável de fazer seu café - e possivelmente prolongar sua vida

Cafeteria de Londres cobra US$ 64 por café premium – só o quilo custa US$ 2 mil

O café sabe como viajar — e os melhores vêm de todo o mundo. As origens do café são globais, é claro: árabes do século 15 foram os primeiros a cultivarem e um francês estava por trás da estreia de 1843 da primeira máquina comercial de espresso. 

Houve algumas novas invenções desde então, além do advento do Frapuccino. Então vá encher de volta a sua xícara e leia sobre os melhores destinos para tomar um café e como eles o preparam. 

Wellington, Nova Zelândia

Xícara comestível da Air New Zealand

Xícara comestível da Air New Zealand

Foto: Cortesia Air New Zealand

Enquanto o flat white —espécie de latte com menos leite— foi, supostamente, inventado em Sydney, ele foi aperfeiçoado em Wellington, na Nova Zelândia, onde se tornou a bebida nacional não-oficial. 

"O povo de Wellington realmente conhece o seu café e há um padrão muito alto sendo servido ao redor da cidade", diz o produtor de café neo-zelandês Nick Clark, do Flight Coffee Unlimited. "Wellington é também uma cidade pequena. Há muita interação entre consumidores e profissionais, o que ajuda a nossa indústria a melhorar e crescer". 

Pedido local: Flat white. É como uma religião. 

Melbourne, Austrália

Café Market Lane, em Melbourne

Café Market Lane, em Melbourne

Foto: Visions of Victoria

"A cultura de café em Melbourne é simplesmente incrível", diz o ex-campeão mundial de baristas Pete Licata, dos Estados Unidos. O café é uma parte tão integral do modo de vida da cidade que uma exposição do grão acontece todos os anos. 

Pedido local: Piccolo latte. Enquanto os lattes, cappuccinos e flat whites continuam populares, os piccolo lattes (feitos com menos leite para que o espresso fique mais forte) são a bebida du jour. 

Hanoi, Vietnã

Café com ovo, popular no Vietnã

Café com ovo, popular no Vietnã

Foto: Kantnews1/Pixabay

O café está profundamente enraizado no DNA do Vietnã, e o país é um dos maiores produtores do grão no mundo. 

Quando o Vietnã era uma colônia grancesa, os franceses estabeleceram plantações de café em todo o país no fim do século 19, e, se você está na capital, Hanoi, você não precisa ir longe para uma caneca fantástica. 

Não espere um flat white ou americano aqui, no entanto. 

O café é feito em um filtro tradicional, pingando em uma única xícara embaixo, produzindo uma bebida grossa e intensa, que é tomada sem adicionais ou aproveitada com leite condensado. É algo que os vietnamitas se acostumaram quando leite fresco era difícil de ser encontrado. 

Popular no Instagram e entre locais o ca phe trung, o café com ovo —em que uma espuma cremosa, parecida com um merengue, feita com clara de ovo é colocada sobre o café preto. 

Pedido local: Caphe den (café preto e grosso, coado lentamente) ou caphe sua (preto com leite condensado) ou café com coco (leite de coco congelado misturado com café preto e finalizado com raspas de gelo de coco —como o café com ovo, é mais uma sobremesa do que uma bebida). 

Londres, Reino Unido

O flat white é muito popular no Reino Unido

O flat white é muito popular no Reino Unido

Foto: Hanny Naibaho/Unsplash

Australianos e neo-zelandeses abriram as primeiras lojas voltadas ao espresso aproximadamente 20 anos atrás —trazendo com eles o amado flat white —e cafés mais modernos têm surgido na cidade desde então.

O chá pode ainda reinar na Inglaterra, mas os londrinos também têm ótimos cafés agora. 

Pedido local: Flat white ou cappuccino. 

Islândia 

Os escandinavos têm um dos maiores consumos de café per capita do mundo, de acordo com o WorldAtlas.com. Isso inclui os islandeses, que são loucos por café e ocupam um dos mais cênicos e gelados lugares da Terra.

Uma geração atrás, café e bolo era o padrão para um lanche da tarde, mas as pessoas focavam mais na qualidade do bolo do que do café. Isso mudou dramaticamente; agora você mal consegue andar um quarteirão sem encontrar uma cafeteria.

E com a falta de grandes franquias na Islândia, negócios menores puderam florescer. 

Pedido local: Latte ou capuccino.

Roma, Itália

Café em Roma

Café em Roma

Foto: Cortesia de Graeme Churchard

O café está tão integrado à cultura italiana que você raramente irá encontrar um nativo que não o bebe. Mas acredite ou não, nem sempre é fácil encontrar um espresso decente na Itália, com críticos cochichando que os italianos têm resistido a adotar técnicas modernas de produção. 

Lar dos melhores baristas da nação, Roma é a melhor aposta para uma xícara de qualidade. 

Pedido local: Espresso. A tradição dita que café com leite só pode ser consumido no café da manhã. 

Cingapura

Café de Cingapura

Café de Cingapura

Foto: Cortesia Cafe Hopping Singapore

O café sempre foi parte integral da vida em Cingapura —a velha tradição de kopitiam, ou cultura de cafeteria, data de séculos atrás. Mas apenas recentemente que a cidade adotou a tecnologia moderna de espresso —atualmente, desenhos na espuma do café são parte esperada do serviço. 

Pedido local: Latte, mocha ou cappuccino. 

Seattle, EUA

Se há uma cidade americana que está sempre à frente, é Seattle. A sereia verde do Starbucks é apenas uma pequena parte da cena de cafés locais. 

"Café é a nossa luz do sul líquida em Seattle", diz o consultor de café Joshua Boyt, ex-jurado da competição mundial de baristas da SCA. "Paixão pelo produto, combinada com o número de cafeterias em toda a cidade, criou uma cultura de melhoria constante por meio de competição e camaradagem". 

Pedido local: Espresso, cappuccino e single-origin pour. 

Áustria

Café em Viena

 

Foto: Cortesia Demel

Parte tão importante da cultura vienense, as cafeterias da cidade foram listadas pela Unesco em 2011 como herança intangível. 

Especialistas em cafés modernos, como o bloqueiro de Viena Lameen Abdul-Malik do From Coffee With Love admite que o padrão do café nessas amadas instituições, que atuam como salas de estar públicas onde as pessoas vem para conversar, ler jornais e comer strudel, estavam ficando para trás em termos de tecnologia em café e expectativas de serviço. 

Isso começou a mudar após Viena receber o Campeonato Mundial de Baristas em 2012 e cafeterias independentes do novo estilo abriram, disse Abdul-Malik. 

Pedido local: Esperro ou cappuccino em um café de novo estilo. Ou um melange Weiner (parecido com cappuccino, mas finalizado com creme) em uma cafeteria tradicional. 

Nigéria

O café provavelmente surgiu na África —historiadores apontam para a Etiópia antes do século 15 —mas a Nigéria é um país que tem resistido a entrar na cultura de cafés. Isso mudou nos últimos anos. 

Pedido local: Café filtrado, preto ou com leite, ou a versão deles de Frapuccino. 

(Texto traduzido, leia o original em inglês

 

0