Cazaquistão adota bordão de Borat para divulgar turismo: 'Very nice!'


Por Jessie Yeung, da CNN
28 de outubro de 2020 às 01:25
O repórter cazaque Borat, personagem de Sacha Baron Cohen

O repórter cazaque Borat, personagem de Sacha Baron Cohen

Foto: Reprodução


Quando o comediante Sacha Baron Cohen lançou seu documentário satírico sobre o repórter cazaque fictício Borat Sagdiyev em 2006, o filme foi proibido no Cazaquistão.

Espectadores e autoridades cazaques denunciaram a representação do filme em seu país, dizendo que estava cheio de estereótipos e comportamentos ofensivos do personagem-título.

Mesmo assim, "Borat - O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América" tornou-se um sucesso estrondoso e ganhou vários prêmios.

Leia também:
Dubai inaugura a maior fonte do mundo; veja vídeo

Cristo Redentor entra em obras para festa de 90 anos



Na semana passada, uma sequência foi lançada - mas desta vez, o Cazaquistão está respondendo de forma diferente.

O conselho de turismo do país lançou uma nova campanha esta semana, adotando um bordão viral de Borat: "Very Nice!" ("Muito bom!") como seu novo slogan oficial.

A campanha inclui quatro vídeos promocionais que mostram turistas explorando a comida local do Cazaquistão, belas paisagens, mercados e cidades movimentadas. Ao final de cada pequeno vídeo, os turistas falam alguma variação de: "Nossa, muito bom!"

 

O conselho de turismo rapidamente montou os vídeos após tomar conhecimento de que Borat teria uma sequência e programou sua campanha para coincidir com o lançamento do filme.

A ação tem como objetivo "celebrar o Cazaquistão e mostrar aos fãs de Borat ao redor do mundo por que deveriam visitar este país incrível", disse um comunicado oficial.

"O slogan oferece a descrição perfeita do vasto potencial turístico do Cazaquistão de uma forma curta e memorável. A natureza do Cazaquistão é muito boa; sua comida é muito boa; e seu povo, apesar das piadas de Borat, está entre os mais legais do mundo", disse Kairat Sadvakassov, vice-presidente do Turismo do Cazaquistão, no comunicado.

"Gostaríamos que todos conhecessem o Cazaquistão por si próprios visitando nosso país em 2021 e depois, para que pudessem ver que a terra natal de Borat é mais agradável do que podem ter ouvido falar."

Para contextualizar: no primeiro filme de Borat, o personagem dá as boas-vindas aos espectadores em sua cidade natal, apresentando-os ao "estuprador da cidade" e à "4ª prostituta em todo o Cazaquistão", sua irmã.

O filme foi lançado em um momento delicado; veio apenas 15 anos depois que o país declarou sua independência da União Soviética em 1991. O Cazaquistão ainda estava descobrindo sua identidade, mas ficou difícil comunicar com o mundo quando "Borat" empurrou o país para a cultura popular - e não de uma forma lisonjeira luz.

Dennis Keen, um americano que mora no Cazaquistão, teve a ideia de usar o bordão de Borat na campanha, disse Sadvakassov.

"Experimentei a zombaria baseada em Borat enquanto estava nos Estados Unidos", observa Sadvakassov. "Portanto, tínhamos certeza de que transformar a linha popular do personagem de Sacha Baron Cohen em um slogan seria imediatamente reconhecido por todos e provocaria sorrisos."

A ideia também foi montar uma campanha na para atrair visitantes após a pandemia Covid-19, que dizimou a indústria de viagens, acrescentou Sadvakassov.

O turismo no Cazaquistão "decolou" depois que o primeiro filme Borat foi lançado, de acordo com o comunicado à imprensa - apesar da desaprovação inicial das autoridades.

No sequência, "Borat: Fita de Cinema Seguinte", o personagem retorna aos Estados Unidos com a missão de entregar um presente ao vice-presidente Mike Pence a fim de obter favores de administração Trump e evitar uma sentença de morte no Cazaquistão.

O filme estreou em 23 de outubro no Amazon Prime.