‘Todas as pessoas’ devem evitar viajar em cruzeiros, alerta agência dos EUA

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA destaca que a recomendação serve também para cruzeiros fluviais e se aplica ao mundo todo

Francesca Street, da CNN
23 de novembro de 2020 às 13:59
O CDC classifica as viagens em navios de cruzeiro como de “Nível 4: Nível muito alto de Covid-19”
Foto: Divulgação / Pixabay

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, em inglês) atualizou as orientações relacionadas a viagens. Agora, a agência alerta que “todas as pessoas devem evitar viajar em navios de cruzeiro”.

O CDC classifica a modalidade como de “Nível 4: Nível muito alto de Covid-19” e destaca que a recomendação serve também para cruzeiros fluviais e se aplica ao mundo todo.

Assista e leia também:
Azul oferecerá 'seguro Covid' grátis em viagens para EUA e Europa
Por Covid-19, CDC pede que americanos não viajem no Dia de Ação de Graças
Covid-19: Maioria dos casos é transmitida por pessoas sem sintomas, diz agência

No fim de outubro, a agência suspendeu a proibição, em vigor por alguns meses, da operação de navios de cruzeiro que entram e saem dos portos norte-americanos. 

Depois, emitiu um documento que detalhava as medidas que empresas de cruzeiro devem implementar antes de obter permissão para retomar as viagens, incluindo testagem de funcionários e “viagens simuladas” bem-sucedidas “para replicar as condições de cruzeiro do mundo real”.

Embora a maioria das companhias do setor tenham cancelado viagens em águas norte-americanas até 2021, algumas retomaram os trabalhos em outras regiões do globo. 

Operadores de cruzeiros no Mediterrâneo, por exemplo, reiniciaram as atividades durante o verão europeu (junho a setembro), com capacidade reduzida de passageiros e um itinerário mais limitado.

Há algumas semanas, o SeaDream 1, primeiro navio de cruzeiro a partir de um porto do Caribe desde junho, foi atingido por uma série de casos de Covid-19, mesmo com a política de testagem antes do embarque. Sete passageiros e dois membros da tripulação testaram positivo para a doença.

O surto colocou em dúvida a habilidade de usar somente a testagem para combater a disseminação do vírus em navios de cruzeiro.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)