Lufthansa testa conceito de assento mais reclinável em classe econômica

A ideia é que os passageiros que viajam na classe econômica possam pegar uma fileira de três a quatro assentos e, em seguida, esticar-se sobre elas

Francesca Street, da CNN
27 de novembro de 2020 às 16:10
Assentos Lufthansa
Lufthansa testa assentos mais confortáveis para a classe econômica
Foto: Lufthansa

Com o distanciamento social presente o tempo todo em nossas mentes, ter nosso próprio espaço em um avião virou uma questão crucial. 

Mas você pagaria a mais para se espalhar por uma fileira de assentos da classe econômica? 

A Lufthansa espera que sim. A companhia aérea alemã está testando seu novo conceito Sleeper's Row em seus voos de Frankfurt, Alemanha para São Paulo, de 18 de novembro a meados de dezembro. 

A ideia é que os passageiros que viajam na classe econômica possam pegar uma fileira de três a quatro assentos e, em seguida, esticar-se sobre elas, reproduzindo a experiência de uma cama plana de classe executiva. Os viajantes receberão cobertor, travesseiro e capa de assento para maximizar o conforto, além de ter direito a embarque prioritário. 

Os interessados devem adquirir o upgrade no aeroporto, no check-in ou no portão, por adicionais US$ 260 sobre o preço da passagem original.

Leia também:
Anac permite retomada de voos do Boeing 737-MAX no Brasil
Estados Unidos avaliam liberar novamente viagens a partir do Brasil
Companhias aéreas vão perder US$ 157 bi até 2021, diz associação do setor

Projetos inovadores

O conceito de aproveitar a fileira inteira não é novo: a Air New Zealand oferece seu Economy Skycoach, com ideia parecida, desde 2011. A companhia neozelandesa comercializa o Skycoach como uma opção perfeita para famílias que viajam, e os preços variam dependendo do voo. 

Em 2019, a Airbus estreou seu conceito de Settee Corner, que usa a configuração econômica de três lugares como inspiração para um assento reclinável de luxo estilo sofá, ocupando menos espaço (e pesando menos) do que o assento médio da Classe Executiva. 

Além disso, no início deste ano, a mesma Air New Zealand foi além no projeto de leitos planos da classe econômica, registrando pedidos de patentes para um novo conceito “Economy Skynest”. Nele, seis cápsulas de dormir completas poderiam ser instaladas na cabine econômica. 

Enquanto isso, o designer Jeffrey O'Neill recentemente apresentou seu conceito de assento econômico futurista: o Zephyr Seat, uma configuração de assentos em dois andares. 

Em junho, O'Neill contou à CNN Travel que considerou que o aumento da privacidade oferecido pelo assento seria atraente para os viajantes após o coronavírus, embora o Zephyr ainda esteja apenas em seus estágios de design. 

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).