Nova ilha particular do Waldorf Astoria nas Maldivas tem diária de R$ 422 mil

Local tem mais de 32 mil metros quadrados e pode acomodar até 24 pessoas

Karla Cripps, da CNN
15 de janeiro de 2021 às 15:08
As Maldivas são um ponto turístico atrativo com mais de 1,2 mil pequenas ilhas
Foto: Waldorf Astoria

Para quem tem recursos, uma ilha particular em um destino tropical é o melhor lugar para se isolar durante a pandemia global. Um dos destinos mais bem equipados para capitalizar esse desejo é o arquipélago das Maldivas, que é composta por 1.200 pequenas ilhas no Oceano Índico.

Embora a maioria dos resorts das Maldivas já seja relativamente privativo, com uma propriedade por ilha, existem algumas opções para os viajantes que querem ir além. A mais recente vem do resort Waldorf Astoria Maldives Ithaafushi, que inaugurou oficialmente esta semana o “Ithaafushi - The Private Island”.

Com mais de 32 mil metros quadrados, ela está sendo comercializada como a maior ilha particular das Maldivas e pode ser alugada por US$ 80.000 (cerca de R$ 422 mil) a diária.

A ilha pode acomodar 24 pessoas em três construções: há uma villa de dois quartos sobre a água com chuveiros do tipo rainshower internos e externos, uma sala de estar compartilhada, piscina de fundo infinito e jacuzzi; uma villa de praia de três quartos com duas piscinas; e a residência de quatro quartos, que vem com dois quartos king, dois quartos queen, jacuzzies e ampla sala comum, todos com acesso direto à praia.

A arquitetura e os interiores da ilha são descritos como “refinados, porém modernos, com uma homenagem ao charme das Maldivas”. Os hóspedes terão sua própria equipe de concierge pessoal.

“Projetada para os viajantes mais exigentes, o Ithaafushi - The Private Island é o suprassumo da exclusividade, perfeitamente localizada em um dos destinos mais inspiradores do mundo, onde uma equipe dedicada antecipa cada necessidade e oferece o serviço elegante e sem esforço da marca em cada estada”, escreveu Nils-Arne Schroeder, vice-presidente de luxo e estilo de vida da Hilton Asia Pacific, empresa controladora do Waldorf Astoria, em um comunicado.

Para quem pode pagar, uma ilha particular é o local ideal para se isolar durante uma pandemia
Foto: Waldorf Astoria

Tem mais: é fácil chegar no local a partir do aeroporto internacional na capital Malé. Os hóspedes podem acessar a ilha em um passeio de 40 minutos em um dos seis iates do resort. Para quem quer curtir aquelas vistas incríveis do hidroavião, uma opção de voo de 15 minutos está disponível.

No quesito gastronomia, a ilha particular tem sua própria equipe culinária que pode criar um menu personalizado servido em uma variedade de ambientes.

Como alternativa, o resort principal Waldorf Astoria fica a uma curta viagem de barco para os hóspedes que desejam conferir seus dez restaurantes especializados. Isso inclui o The Ledge, criado por Dave Pynt, do restaurante Burnt Ends de Singapura, que ostenta uma estrela Michelin.

Preocupado com o tédio? A Ithaafushi - The Private Island oferece todas as delícias usuais pelas quais as Maldivas são famosas, incluindo esportes aquáticos, mergulho e passeios de iate. Há também um concierge dedicado apenas ao bem-estar no spa sobre a água da ilha para fornecer tratamentos personalizados.

As comodidades adicionais incluem um pavilhão de meditação e ioga e um ginásio totalmente equipado. Para as crianças, há uma piscina infantil e área de jogos.

Maldivas abertas a todos os viajantes

As Maldivas reabriram ao turismo internacional em 15 de julho. Quase todos os viajantes globais não precisam entrar em quarentena obrigatória na chegada ao Aeroporto Internacional Velana na capital, Malé.

No entanto, todos os que chegam, exceto cidadãos das Maldivas, devem apresentar um certificado de um teste PCR negativo realizado nas 96 horas antes da partida, mostrando claramente o nome e endereço do laboratório, bem como a data da amostra colhida.

Como todos os países que dependem fortemente do turismo, as Maldivas foram duramente atingidas pela crise. De acordo com o Banco Mundial, o turismo responde direta e indiretamente por dois terços do PIB do país.

O setor explodiu em 2019, com as chegadas de visitantes crescendo 14,7% (na comparação com o ano anterior), com o total de chegadas atingindo um recorde de 1,7 milhão. As autoridades esperavam que eles chegassem a 2 milhões de chegadas em 2020.

Em uma declaração emitida em maio de 2020, Ali Waheed, ministro do turismo do país, descreveu o impacto da pandemia do coronavírus como “mais devastador do que o tsunami de 2004 e a crise financeira global de 2008”.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).