Nesta cidade na Itália é possível comprar casas por até R$ 12

Depois de concretizada a venda, os compradores, que não são obrigados a fixar residência, devem terminar as renovações da propriedade no prazo de três anos

Silvia Marchetti, da CNN
18 de julho de 2021 às 08:56 | Atualizado 18 de julho de 2021 às 09:19
Sambuca, na Itália
Foto: Riccardo Lombardo/REDA&CO/Universal Images Group via Getty Images

Das inúmeras cidades italianas em declínio que optaram por vender casas dilapidadas por apenas um euro, Sambuca di Sicilia foi, sem dúvida, a mais bem-sucedida.

Aproximadamente 16 moradias foram abocanhadas por € 1 (cerca de R$ 6 na cotação atual) aqui desde que o esquema foi anunciado pela primeira vez pela CNN Travel em 2019 , e Sambuca tem estado no centro das atenções desde então.

A atenção global levou a um afluxo de repórteres e estrangeiros em busca de uma casa pechincha, e os moradores estupefatos só puderam olhar enquanto sua cidade, localizada no coração da Sicília, se tornava um ponto turístico da noite para o dia.

Ninguém está totalmente certo de como Sambuca conseguiu ofuscar todas as outras cidades despovoadas da Itália lutando para se desfazer de propriedades em ruínas, incluindo Zungoli da Campânia e Mussomeli da Sicília.

Talvez seja por ele compartilhar seu nome com o famoso licor italiano com sabor de anis Sambuca e as flores de sabugueiro de Sambucus que é feito do cultivo nos campos próximos? Ou poderia ser devido ao seu rico patrimônio, pontos turísticos como as ruínas do palácio deslumbrante de Al Zabut, ou sua vibração exótica?

Seja qual for o motivo, Sambuca espera repetir esse sucesso colocando no mercado um segundo lote de casas abandonadas, desta vez por um simbólico € 2 (cerca de R$ 12), que é ainda menos do que o custo de uma fatia de pizza.

Dois anos depois do esquema de 2019, as autoridades locais ainda recebem pedidos de estrangeiros interessados em comprar uma das casas de barganha da cidade e decidiram que agora é a hora certa para vender mais cerca de 20 prédios abandonados, muitos dos quais são casas adjacentes, dando aos compradores uma oportunidade de comprar mais de uma propriedade e derrubá-las.

Em leilão

Foto: Shutterstock

 As propriedades escolhidas, todas localizadas no antigo bairro "Sarraceno" do centro histórico de Sambuca, foram abandonadas depois que um terremoto catastrófico abalou o Vale Belice da Sicília em 1968 e devastou a área.

As casas acabam de ser colocadas em leilão com um custo inicial de dois euros, para serem vendidas ao melhor licitante, como foi o caso em 2019. O novo esquema foi lançado a 15 de julho, e os formulários de candidatura já podem ser descarregados do site da cidade.

O processo de inscrição se encerra no dia 5 de novembro.

Assim que todos os pedidos forem analisados e considerados, um leilão público será realizado, provavelmente após algumas semanas.

Em 2019, a prefeitura foi inundada com milhares de pedidos de compradores interessados, o que levou os organizadores a leiloar as propriedades disponíveis.

Embora as casas tenham sido vendidas a preços que variaram de um euro a € 25.000, a maioria custou algo entre € 5.000 e € 10.000.

As propriedades à venda incluem uma seleção de casas de um nível, medindo entre 50 e 80 metros quadrados, com pequenos pátios interiores com limoeiros.

Enquanto isso, edifícios maiores de pedra rosa-avermelhada de 120 metros quadrados e vários andares com varandas e terraços com vista para campos verdes pontilhados com ovelhas pastando também estão à venda.

E não são apenas as casas que estão sendo vendidas. Espaços vazios na cidade e remendos entre as propriedades também estão no mercado, dando aos compradores a opção de construir praticamente o que quiserem do zero no local que procuram.

Parte superior 

“Tínhamos muito interesse por esses espaço aberto dos compradores do Oriente Médio. Isso dá às pessoas mais espaço para criação e inspiração, para moldar como quiserem”, explica o vice-prefeito da cidade, Giuseppe Cacioppo. "Além disso, são mais baratos, cerca de € 500."

Algumas das casas oferecidas estão em um estado incrivelmente bom, com pisos de cerâmica pintados de majólica antigos projetados por mestres da arte sicilianos e paredes em marrom dourado que datam da década de 1920, e parecem ser as mais cobiçadas do grupo.

No entanto, a maioria das propriedades precisa urgentemente de reparos, algumas ainda estão cheias de itens esquecidos e montes de móveis quebrados e empoeirados.

O lançamento do leilão foi programado para coincidir com a reabertura da Itália, já que o país começa a abrir suas portas para os turistas novamente após o fechamento da fronteira e as restrições trazidas pela pandemia Covid-19.

Isso significa que muitos compradores interessados poderão realmente visitar a Sicília, dependendo da parte do mundo em que estiverem baseados, bem como seu status de vacinação em alguns casos, e ver as casas por si próprios.

No ano passado, a cidade adiou o lançamento de um esquema semelhante devido ao impacto da pandemia, que viu a Itália particularmente atingida durante a primeira onda.

Mas agora a situação no país está sob controle, o número de casos é baixo e a implementação da vacinação está em pleno andamento, e Sambuca está pronta para receber os recém-chegados novamente.

Segundo Cacioppo, as autarquias seguem as mesmas regras de antes, pois consideram que a simplicidade dos regulamentos, bem como o encanto de uma cidade já revitalizada, vão revelar-se um grande atrativo.

“O regulamento funcionou bem e tem sido muito transparente e fácil, então vamos cumpri-lo”, diz ele.

“Os participantes no leilão terão de pagar uma caução de € 5.000, se perderem a licitação a quantia é imediatamente devolvida a eles, mas se ganharem, será automaticamente a garantia do seu depósito”.

Depois de concretizada a venda, os compradores, que não são obrigados a fixar residência, devem terminar as renovações da propriedade no prazo de três anos.

No entanto, desta vez, haverá isenções fiscais para investimentos em melhorias verdes.

Cidade revitalizada 

“As pessoas que compraram uma casa em 2019 foram corajosas, mergulharam nessa aventura de olhos vendados”, diz Cacioppo. "Mas aqueles que compram uma agora são espertos e sabem exatamente no que estão se inscrevendo e todos os pontos positivos."

“Eles vão encontrar uma cidade revitalizada, cheia de energia e vida, onde muitos prédios foram reformados e onde seus vizinhos falam inglês e francês. Sambuca hoje tem um valor agregado, o entusiasmo enche o ar”.

O impacto do esquema de venda de um euro em 2019 compensou uma revolução social e econômica na cidade, criando um burburinho.

Seu mercado imobiliário floresceu, à medida que os moradores seguiram o exemplo da prefeitura, resultando em mais de 100 vendas privadas de casas de baixo preço.

Isso levou à abertura de uma série de novas oficinas de arte, butiques de artesãos, laboratórios de fotografia e bares de vinho, enquanto cursos de italiano foram organizados para estrangeiros. Uma das casas de € 2 à venda foi até reservada a artistas que pretendam abrir um estúdio de arte.

De acordo com Cacioppo, existem planos para abrir centros de trabalho remoto para atrair trabalhadores digitais globais para Sambuca.

Enquanto apenas quatro das 16 casas de € 1 vendidas no lote de 2019 estão atualmente em reforma, alguns dos novos proprietários acabaram comprando pelo menos mais duas propriedades na cidade, então é provável que eles se concentrem em uma propriedade em um tempo.

Ao contrário de algumas das outras cidades cada vez menores, que propuseram acordos habitacionais semelhantes para atrair os recém-chegados, as autoridades de Sambuca, na verdade, são donas das residências abandonadas.

Isso ajudou a acelerar os procedimentos, já que não há necessidade de contato com ex-proprietários, que não voltaram desde o terremoto de Belice de 1968, que fez com que muitas famílias fugissem da área, enquanto algumas migraram da cidade após a Segunda Guerra Mundial.

Conhecida como a "Cidade do Esplendor", Sambuca fica dentro de uma reserva natural e cercada por lindas praias, bosques e montanhas.

Local tranquilo 

Apesar de sua popularidade crescente, Sambuca continua sendo um lugar tranquilo.

Com raízes que remontam aos antigos colonos gregos, é uma espécie de museu ao ar livre graças à sua arquitetura contrastante, incluindo igrejas com cúpulas em estilo árabe e palácios barrocos adornados com querubins e gárgulas.

Se o céu estiver claro, você pode avistar o vulcão Monte Etna da Sicília no terraço do Belvedere, onde antes ficava um palácio luxuoso.

Selinunte, considerado um dos melhores sítios arqueológicos gregos da Sicília, está situado nas proximidades, assim como o Vale dos Templos, patrimônio mundial da UNESCO.

A área também abriga vários vinhedos que se estendem até o mar.

O renascimento do vinho siciliano começou em Sambuca, e videiras vermelhas como a Nero d'Avola são cultivadas nas propriedades espanholas de 1500 ao redor do lago artificial Lago Arancio, onde as ruínas de uma fortaleza árabe são frequentemente reveladas durante as marés baixas.

Como na maioria das cidades italianas, as especialidades gastronômicas locais também são um grande ponto de venda.

Os destaques culinários de Sambuca incluem pratos de massa com saborosos caracóis e os exclusivos minni di Virgini, que são essencialmente pãezinhos enormes. 

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)