Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Basília Rodrigues

    Basília Rodrigues

    Apura e explica. Adora Jornalismo e Direito. Vencedora do Troféu Mulher Imprensa e prêmios Especialistas, Na Telinha e profissionais negros mais admirados

    Governo prepara nova linha de crédito via BNDES para agro, afirma ministro da Agricultura à CNN

    Fávaro vai se reunir com BNDES e cooperativas do agro para começar a construir novo canal

    Governo prepara nova linha de crédito via BNDES para agro, afirma ministro da Agricultura à CNN
    Governo prepara nova linha de crédito via BNDES para agro, afirma ministro da Agricultura à CNN

    Em meio à disputa política pelo apoio do agro, o governo federal mobilizou o BNDES para estudar a liberação de uma nova linha de crédito, dessa vez para cooperativas, com objetivo de desenvolver a agroindústria.

    A informação é do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro. Trata-se de um novo canal de crédito, além do anunciado pelo governo no encontro da Agrishow, em São Paulo, neste domingo (28).

    Nesta terça-feira (30), Fávaro vai se reunir com BNDES e cooperativas do agro para, segundo ele, começar a construir a nova linha.

    “Enquanto a oposição fica na retórica, na ideologia, o governo trabalha independentemente de quem votou nas eleições. É trabalho e ter resultado, ê isso o que o governo está fazendo, trata-se de uma determinação de Lula”, disse à CNN.

    “Não tem pão para entregar na feira”, afirmou outro ministro contra o discurso da oposição.

    O governo avalia que a própria organização da Agrishow mostra um avanço nas relações neste último ano.

    Em 2023, Fávaro foi “desconvidado” porque o evento deu preferência à participação do ex-presidente Jair Bolsonaro.

    Neste ano, para evitar colisão, governistas e opositores foram convidados para dias diferentes.

    O clima de aproximação na Agrishow do governo com o agro foi comemorado no Palácio do Planalto.

    O mesmo não ocorreu na Expozebu, que também ocorreu neste fim de semana em Uberaba (MG). Na ocasião, interlocutores de Fávaro afirmam que a sensação era de tentativa de constrangimento e palanque armado contra o governo.