Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Caio Junqueira

    Caio Junqueira

    Formado em Direito e Jornalismo, cobre política há 20 anos, 10 deles em Brasília cobrindo os 3 Poderes. Passou por Folha, Valor, Estadão e Crusoé

    “Eu combinei com o Arthur Lira”, diz à CNN ministro sobre exoneração no Incra

    Exoneração ocorre após embate entre presidente da Câmara e ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais

    “Eu combinei com o Arthur Lira”, diz à CNN ministro sobre exoneração no Incra
    “Eu combinei com o Arthur Lira”, diz à CNN ministro sobre exoneração no Incra

    O ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, disse à CNN, na manhã desta terça-feira (16), que a exoneração de Wilson Cesar de Lira Santos, primo do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), do cargo de superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de Alagoas, foi combinada com Lira.

    “Eu combinei com o Artur Lira”, disse Teixeira à CNN. Procurado, Lira não se manifestou.

    Mais cedo, a assessoria do Ministério do Desenvolvimento Agrário, a quem o Incra é subordinado, informou à CNN que se trata de uma troca normal de um cargo de confiança que já estava prevista e não tem relação com o embate entre Lira e Padilha.

    A exoneração foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira e ocorre na semana seguinte ao embate que Lira teve com o ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, no qual Lira o chamou de “desafeto pessoal” e “incompetente”.

    Como a CNN mostrou, o desentendimento teve como pano de fundo a disputa por recursos do Orçamento federal.

    A exoneração do prime de Lira também ocorre no momento em que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) deflagra o Abril Vermelho, onda de ações para pressionar o governo pela reforma agrária. Até a noite desta segunda-feira (15), o grupo contabilizava 24 invasões de terras.

    O MST pedia desde o início do governo a exoneração do primo de Lira do cargo.

    Questionado do motivo da troca, o Incra ainda não se manifestou.