Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco é jornalista, com passagem pelas redações de Estadão, Folha, O Globo, Época, Istoé e SBT

    Com Milei na Argentina, Brasil elege Colômbia como principal interlocutor na América do Sul

    Lula e Petro estão alinhados em diversos posicionamentos em relação a situação de vários países vizinhos

    Com Milei na Argentina, Brasil elege Colômbia como principal interlocutor na América do Sul
    Com Milei na Argentina, Brasil elege Colômbia como principal interlocutor na América do Sul

    A Argentina continua sendo o principal parceiro comercial do Brasil na América do Sul. Mas, desde que Javier Milei assumiu a presidência do país vizinho, em dezembro do ano passado, o diálogo político acabou prejudicado.

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantinha uma rotina de agendas e conversas com Alberto Fernández, antecessor de Milei. Com o atual o presidente, nunca houve sequer uma conversa.

    O Brasil, então, resolveu eleger a Colômbia como principal interlocutor no Hemisfério Sul. De acordo com fontes ouvidas pela CNN, existem alguns motivos para isso.

    Em primeiro lugar, está o alinhamento pessoal e ideológico de Lula com Gustavo Petro (ambos na foto acima). Ele é o primeiro presidente progressista eleito da Colômbia na história recente. Nesta semana, Lula viajou para o país pela segunda vez em menos de um ano e meio de mandato.

    Os dois presidentes estão alinhados em diversos posicionamentos em relação a situação de vários países vizinhos, como a Venezuela.

    Petro e Lula têm adotando a mesma linha: dialogar tanto com Nicolás Maduro quanto com a oposição para que a disputa represente o início de uma retomada da normalidade política por lá.

    E tem mais. Brasil e Colômbia possuem 1.660 quilômetros de fronteira. Os dois países contam com importante cobertura da Floresta Amazônica. Neste aspecto, além de ações coordenadas sobre a segurança, com estratégias conjuntas contra o crime organizado, há preocupações econômicas com a região.

    Juntos, os dois fortalecem apelo mundo afora pelo financiamento internacional para a preservação das reservas florestais.