Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco é jornalista, com passagem pelas redações de Estadão, Folha, O Globo, Época, Istoé e SBT

    Governo promete todos os projetos para o RS aprovados em até seis meses

    Ministério extraordinário comandado por Paulo Pimenta terá duas frentes de atuação: reconstrução e prevenção

    Governo promete todos os projetos para o RS aprovados em até seis meses
    Governo promete todos os projetos para o RS aprovados em até seis meses

    O ministro da Secretaria Extraordinária para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, disse à CNN que todos os projetos para reconstrução das cidades afetadas pelas enchentes no estado e para prevenção de novos desastres terão que estar aprovados em até seis meses.

    “Esse é o prazo que estou estabelecendo. Eu quero um prazo de quatro a seis meses para que todos os projetos em todas as áreas estejam aprovados e, com isso, eu possa voltar para assumir definitivamente a Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência) e aí cada ministério acompanhar a parte da execução em todas as áreas”, afirmou Pimenta.

    Medida provisória editada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prevê a existência da nova pasta até fevereiro do ano que vem.

    De acordo com Pimenta, o ministério terá duas frentes de atuação que serão tocadas por ele ao mesmo tempo: uma voltada para ajuda emergencial e reconstrução das cidades; e outra linha concentrada na prevenção “para que uma tragédia como essa nunca mais se repita”.

    “Não é um ministério executor, é um ministério de coordenação, formulação e articulação das ações do governo.”

    Para isso, ele vai comandar o diálogo com as prefeituras, com o governo do Estado, com diversos setores da sociedade civil, selecionar projetos e demandas e articular com todos os ministérios. Isso vale para as mais diversas áreas, como setor empresarial, agropecuário, da saúde, de educação, entre outros.

    O ministro explicou como será a atuação de prevenção. “O presidente Lula quer fazer um grande estudo para um projeto definitivo para que essa situação nunca mais se repita. Vou coordenar também a contratação desse estudo definitivo para uma solução estrutural.”

    A pasta terá um secretário-executivo, mais dez cargos comissionados. De acordo com o ministro, ele vai escolher profissionais com perfil técnico.

    Sede do ministério​

    Pimenta explicou que até sexta-feira (17) deve encontrar um lugar para instalar o ministério. Ele não pretende alugar um local; quer salas em prédio já usado pelo Executivo federal, como escritórios do INSS, da Advocacia Geral da União, ou até do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

    Agendas

    A primeira agenda como novo ministro da reconstrução do Rio Grande do Sul foi na própria quarta-feira (15), data em que foi nomeado.

    Assim que o presidente Lula saiu de São Leopoldo (RS) e retornou a Brasília, Pimenta e o ministro Waldez Góes, do Desenvolvimento Regional, voaram até o maior navio da América Latina, o porta-helicóptero “Atlântico”. Lá, jantaram já tarde da noite com o comandante da Marinha, almirante Marcos Sampaio Olsen e todo comando que atua na Operação Taquari II.

    Na manhã desta quinta (16), reuniu-se com prefeitos e representantes das cidades da região metropolitana de Porto Alegre (RS) para discutir um plano emergencial de ação nesses municípios.

    FOTOS –