Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Débora Oliveira

    Débora Oliveira

    Certificada pelo Programa B3 de Formação Continuada em Mercado de Capitais para jornalistas com atuação em grandes emissoras, como SBT, Band e RedeTV, e analista de economia sem economês

    Sem reservas para alta temporada, hotéis demitem funcionários na Argentina

    Setor local viu custos, como lavanderia, material de limpeza e alimentação, triplicarem

    Sem reservas para alta temporada, hotéis demitem funcionários na Argentina
    Sem reservas para alta temporada, hotéis demitem funcionários na Argentina

    Em Villa La Angostura, cidade ao sul da província de Neuquén, na região dos lagos andinos, a situação não é das melhores. Tendo o turismo como uma das principais fontes de renda, o setor hoteleiro local viu custos, como os de lavanderia, material de limpeza e alimentação, triplicarem.

    O que não triplicou foi o número de hóspedes. Na verdade, a falta deles pode fazer com que uma das pousadas da região feche as portas por um tempo.

    “Na alta temporada tenho sete funcionários, e a partir de março ficarei com quatro apenas. Caso não consiga reverter a falta de reservas, fecharei por dois meses e retornarei somente no inverno”, relata Maria Ines Cola, gerente da Hosteria Amigos del Bosque.

    Ela conta que o setor como um todo vive algo semelhante, já que o que se viu nos últimos meses em Villa La Angostura foi uma redução nos gastos dos turistas com restaurantes e compras.

    “O grande golpe nos nossos bolsos veio com a desvalorização do câmbio e o consequente aumento dos preços sem que houvesse atualização dos salários”, pontua.

    O problema é que as perspectivas para os próximos meses para o setor nesta região da Patagônia não são das melhores.

    Segundo Ines, a partir de abril, as reservas caem para, no máximo, 2% da capacidade hoteleira, e para as férias de inverno ainda não há reservas.

    Em 2022 e 2023, o turismo local contou com a ajuda do PreViaje, um programa que devolvia até 50% das reservas de passagens e hotéis em forma de crédito, para ser usado durante passeios com parceiros — e isso ajudava a movimentar a baixa temporada. Mas para este ano, sob a gestão Milei, o programa foi desativado.

    A gerente da pousada entende que é importante manter a ordem na gestão das contas públicas, mas avalia que a desaceleração da inflação apenas às custas da redução do consumo, apesar de ser uma medida com impacto imediato, é muito doloroso.