Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jussara Soares

    Jussara Soares

    Em Brasília desde 2018, está sempre de olho nos bastidores do poder. Em seus 20 anos de estrada, passou por O Globo, Estadão, Época, Veja SP e UOL

    Exército estima que mais de mil militares foram afetados pelas chuvas no RS e estuda auxílio emergencial

    Avaliação de uma ajuda financeira a esses militares está sendo feita por determinação do general Tomás Paiva

    Exército estima que mais de mil militares foram afetados pelas chuvas no RS e estuda auxílio emergencial
    Exército estima que mais de mil militares foram afetados pelas chuvas no RS e estuda auxílio emergencial

    O Exército estuda a criação de um auxílio emergencial pra militares do Rio Grande do Sul que foram afetados pelas enchentes no estado. De acordo com a estimativa preliminar do Comando Militar do Sul (CMS), mais de mil integrantes da ativa da Força tiveram suas casas atingidas total ou parcialmente.

    A avaliação de uma ajuda financeira a esses militares está sendo feita pelo Departamento-Geral de Pessoal (DGP) por determinação do comandante do Exército, general Tomás Paiva.

    O órgão, junto com a Secretaria de Economia e Finanças, deve apresentar nos próximos dias um relatório com número total de possíveis beneficiários e qual o impacto da medida no orçamento da força.

    Um auxílio  emergencial financeiro (AEF) para militares já está previsto em um portaria de abril de 2022. O texto prevê a possibilidade de uma ajuda também a integrantes da reserva ou reformado “para custear despesas relacionadas à área de saúde e aquelas causadas por sinistro, a fim de restabelecer as condições mínimas financeiras e sociais”.

    “O AEF caracteriza-se como um apoio emergencial e/ou eventual destinado aos militares que estejam em situação de desequilíbrio econômico, situação comprovada por relatório socioeconômico e por parecer de assistente social, visando, assim, amenizar as possíveis repercussões negativas na esfera familiar e no seu desempenho profissional”, diz o texto.

    De acordo com a portaria, o valor máximo que pode ser concedido é de seis vezes ao salário de um segundo-tenente, atualmente fixado em R$ 7.490. Ou seja, R$ 44.940.

    Pela número de militares afetados e por restrição orçamentária, a previsão é que não seja pago a quantia máxima permitida.

    Segundo a CNN apurou, os mais de militares afetados pelas enchentes com perda total ou parcial de bens são soldados, cabos, sargentos e oficiais. O prejuízo pessoal ainda não está totalmente contabilizado porque muitas casas ainda estão alagadas.

    A maior parte dos militares atingidos moram em bairros de algumas das cidades mais afetadas como Eldorado do Sul, Canoas e nos bairros Humaitá e Sarandi, em Porto Alegre.

    Dos cerca de 20 mil integrantes das Forças Armadas atuado na tragédia no Rio Grande do Sul, 11 mil são do Exército.