Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Larissa Rodrigues

    Larissa Rodrigues

    Acompanha de perto as articulações do Congresso com o Executivo e como a relação entre os Poderes interfere na vida da população e na economia do país

    Chuvas no RS: Governo inclui cooperativas e bancos locais em programa com empréstimos subsidiados

    Microempresários terão 40% dos empréstimos bancados pelo governo

    Chuvas no RS: Governo inclui cooperativas e bancos locais em programa com empréstimos subsidiados
    Chuvas no RS: Governo inclui cooperativas e bancos locais em programa com empréstimos subsidiados

    O governo federal decidiu incluir bancos estaduais e cooperativas do Rio Grande do Sul entre as instituições financeiras que poderão conceder crédito para pequenos empresários que sofreram perdas com a calamidade vivida pelos gaúchos.

    A informação foi confirmada à CNN por fontes dos ministérios do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviço (MDIC) e do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte.

    Como a CNN mostrou, o governo federal vai colocar à disposição dos gaúchos mais uma rodada do Programa Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Pronampe).

    A ideia é que os empresários afetados pelas chuvas tenham até 40% de desconto em empréstimos. Ou seja, se pegarem R$ 100 mil emprestados, a dívida ficará em R$ 60 mil.

    Inicialmente, apenas o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal teriam recursos à disposição, assim como na enchente do ano passado.

    No entanto, em reunião nesta quarta-feira (15), parlamentares pediram ao vice-presidente e ministro do MDIC, Geraldo Alckmin, para que instituições locais pudessem liberar o empréstimo para facilitar o acesso aos empresários que ainda estão com dificuldades de se locomover em meio a água e a lama nas cidades do Rio Grande do Sul.

    O projeto será gerido pelo Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte para companhias que tenham faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. O valor máximo por empresa ficará em cerca de R$ 150 mil.

    De acordo com a medida provisória publicada no fim de semana, R$ 1 bilhão em crédito extraordinário será disponibilizado para bancar o subsídio no âmbito do Pronampe.