Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pedro Duran

    Pedro Duran

    O pai do Benjamin passou pela TV Globo, CBN e UOL. Na CNN, já atuou em SP, Rio e Brasília e conta histórias das cidades e de quem vive nelas

    Ministros de Lula farão “imersão” em áreas alagadas do Acre com foco em população indígena

    Visita vai durar cerca de dez horas e passará por Brasileia e Rio Branco

    Ministros de Lula farão “imersão” em áreas alagadas do Acre com foco em população indígena
    Ministros de Lula farão “imersão” em áreas alagadas do Acre com foco em população indígena

    A comitiva do governo Lula (PT) que viajará pelo no Acre nesta segunda-feira (4) encontrará os rios que cortam o estado subindo a cada dia e um intenso trabalho de voluntários para limpar a lama dos locais onde as enchentes já deram uma trégua.

    Neste domingo, o Rio Acre bateu sua terceira maior cheia da história depois de alcançar 17,68 metros, ou seja, a apenas 72 centímetros de superar a marca máxima registrada em 2015, de 18,40 metros.

    A previsão é de sair às 7:00 da manhã de Brasília e chegar em Rio Branco às 8:30 do horário local, duas horas a menos que Brasília. O roteiro da viagem obtido pela CNN mostra que o primeiro destino será Brasileia, cidade símbolo da tragédia com 80% do território invadido pela água.

    Depois de passar por diversas ruas, os ministros chegarão ao bairro Leonardo Barbosa, terra da tribo indígena dos Jaminauás e 186 pessoas tiveram que deixar suas casas depois do bairro perder a conexão por terra com o Acre e se aproximar mais da Bolívia, como mostrou a <strong>CNN</strong>.

    Autoridades locais contam que o bairro “virou uma ilha” com a alta dos rios, obrigando o uso de barcos pra levar remédios e comida. Quando a água baixou surgiu uma cratera no local, intransponível para carros. O bairro segue no escuro e a prefeitura iniciou um trabalho de reparo provisório da pavimentação.

    Às 14:30, os ministros devem chegar a um abrigo, desta vez, no Parque da Exposição na capital, Rio Branco. No local ainda está prevista uma entrevista coletiva com a imprensa. Meia hora depois devem visitar outro abrigo, voltado à população indígena. De lá fazem reunião com autoridades e voltam pra Brasília às 18:00.

    De acordo com a base de dados do IBGE, a população indígena representa menos de 4% do total de pessoas que vivem no Acre. No último censo, dos 803 mil que vivem no estado, cerca de 31,7 mil se declararam indígenas.

    A visita terá o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, além de duas autoridades federais, dois senadores e duas deputadas federais.