Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Fundación MAPFRE

    Conteúdo patrocinado

    Conteúdo Patrocinado é o espaço para as marcas se comunicarem com o público.

    Fundación MAPFRE

    Seguro de Vida: o planejamento financeiro para proteção do agora e do amanhã

    O seguro de vida é uma prova de amor. É a peça-chave do planejamento financeiro, tanto pessoal, quanto familiar, pois oferece segurança e estabilidade em todas as fases da vida.

    Vivemos o agora, estamos sempre correndo contra o tempo, com responsabilidades, compromissos, dentro de nossas rotinas. Cuidamos uns dos outros. Amamos, protegemos, com alegrias, conquistas, angústias e medos. O ser humano vive intensamente o presente, mas é importante ter em mente que tudo tem início, meio e fim. Pensando lá na frente, como está o planejamento do seu futuro? As pessoas que você mais ama estarão protegidas financeiramente?

    Por mais que o seguro de vida seja peça-chave do planejamento financeiro, ainda não está enraizado culturalmente na vida do brasileiro. Segundo Hilca Vaz, diretora técnica de seguros de pessoas da Mapfre, “nos países mais desenvolvidos como o Japão, 90% das famílias são protegidas através de uma apólice de seguros. Nos Estados Unidos, mais de 90% da população tem pelo menos uma apólice de seguro de vida. A média global é de 37%. No Brasil, somente 17% das pessoas possuem seguro de vida.”

    Mas esse cenário está mudando, principalmente após a pandemia da Covid-19, onde muitas pessoas perderam amigos e familiares repentinamente. Com isso, o brasileiro passou a priorizar a autoproteção e a de sua família. Percebemos essa mudança de comportamento de dois anos pra cá, com o crescimento deste mercado no País. De acordo com dados da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), a procura por seguro de vida cresceu quase 30% em 2021 e quase 20% em 2022.

    O tamanho do mercado de seguro de vida é extremamente grande, volumoso. Nos últimos 3 anos, de 2020 a 2022, teve uma arrecadação de cerca de 70 bilhões de reais e retornou aos clientes, em forma de indenização, cerca de 26 bilhões. É um setor extremamente capitalizado, robusto financeiramente,” relata Thiago Ayres, superintendente da diretoria técnica e regulatória da CNSEG (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização).

    “O seguro de vida não é somente uma indenização no caso de morte. Existem coberturas que podem ser associadas à própria vida, como o tratamento de doenças graves, cirurgias, serviços tais como consultas, tratamentos, descontos em medicamentos.  Por isso o seguro de vida tem sido cada vez mais procurado pelas pessoas, justamente porque ele consegue atender esse público em diversos momentos da vida”, explica Hilca Vaz.

    Fazendo um paralelo com o seguro de carro, por exemplo, por mais que não ocorra nenhum sinistro, como uma batida ou acidente, em que o seguro tenha que ser acionado, existem vários benefícios que podem ser utilizados durante o ano contratado, como revisões em oficinas autorizadas e até mesmo alguns serviços para a casa, dependendo da apólice contratada. Com o seguro de vida é a mesma coisa, existem vários benefícios que podem ser usados em vida, como descontos em consultas médicas, odontológicas, exames laboratoriais e medicamentos.

    E muito se engana quem pensa que seguro de vida é apenas para as classes mais altas, existem apólices para todos os tipos de bolsos, personalizadas para atender cada família. “Além disso, o seguro de vida não é patrimônio, ele não entra em inventário, ele existe para dar liquidez em um momento difícil, em que as famílias mais precisam, para dar todo o suporte nesta fase delicada, que é o momento da morte”, complementa Hilca.

    Para a psicóloga Vera Ferreira, presidente da IAREP (Associação Internacional de Pesquisa em Psicologia Econômica), além de enfrentar o tabu que é falar sobre a morte, é preciso desburocratizar o “segurês”, mudar a comunicação para torná-la mais popular, compreensível e acessível para todas as camadas sociais. “É necessário simplificar as terminologias do seguro de vida para as pessoas entenderem as proporções, as probabilidades, com gráficos, redes sociais, para ajudá-las e facilitar o caminho para que tomem as melhores decisões.

    Disseminar a educação financeira para toda a população brasileira é o caminho para que possam fazer escolhas responsáveis, administrar o dinheiro com mais eficiência no presente e planejar os objetivos do amanhã. A Fundación MAPFRE democratiza o acesso à informação de qualidade, amplificando os esforços em educação e conscientização financeira, planejamento pessoal e familiar, construindo um futuro mais humano.