2ª fase do Open Banking: como compartilhar seus dados com outro banco

Com a nova funcionalidade, clientes terão mais autonomia sobre os dados que produzem sobre si em qualquer instituição financeira

Códigos de programação: open banking vai funcionar por meio das APIs
Códigos de programação: open banking vai funcionar por meio das APIs Foto: Markus Spiske/Unsplash

Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

A segunda fase do Open Banking começou nesta sexta-feira (13). Ela permite que os clientes compartilhem dados sobre informações das suas transações para instituições financeiras que resolvam aderir a esta etapa.

Quem quiser que outra instituição financeira receba informações de uma das suas contas bancárias, poderá compartilhá-las através do aplicativo ou site autenticado do banco. 

Ou seja, quem tem uma conta no Nubank e quer compartilhar com o Bradesco seu histórico de compras e pagamentos do cartão de crédito poderá fazer isto através do aplicativo da fintech. A ideia é que o Bradesco tenha mais informações para conceder e esse cliente um produto adequado a seu perfil, com limite de crédito baseado em seu histórico com outra instituição. 

É importante ficar atento ao ambiente onde o compartilhamento acontece. Os clientes não devem compartilhar dados fora de ambientes virtuais dos bancos, como aplicativos e internet banking. 

O compartilhamento tem data para acabar e precisa atender a uma finalidade específica. Ou seja, o Bradesco estabelece previamente um prazo para usar suas informações do cartão de crédito do Nubank. 

Open baking
Open baking
Foto: CNN / reprodução

 

O usuário também tem direito a cancelar o consentimento do uso de dados a qualquer momento e em qualquer instituição financeira. Nenhuma instituição tem direito de usar informações do cliente por quanto tempo quiser ou sem autorização dele. 

Ainda é preciso ficar de olho: os bancos não vão solicitar nenhum dado que já não esteja na instituição financeira de destino.

Em entrevista à CNN Rádio, a advogada e professora de Mercado Financeiro na Universidade Mackenzie, Thaís Cíntia Cárnio, disse que o Open Banking traz maior transparência em relação às ofertas das instituições financeiras.

“O objetivo maior é trazer transparência e informação sobre o próprio comportamento do consumidor dos serviços bancários. A ideia é trazer mais informação, desde que autorizada, para circular entre as instituições financeiras”, explicou.

Veja aqui o que muda com a nova fase do Open Banking. 

Open baking
Open baking
Foto: CNN / reprodução

 

Mais Recentes da CNN