Setor calçadista tem 86% das fábricas fechadas no Brasil após COVID-19

Com as linhas de produção paradas, 84% deram férias aos funcionários, segundo dados da Abicalçados, obtidos em primeira mão pela CNN Brasil

Tiago Abech, da CNN Brasil
14 de abril de 2020 às 21:04
Consumidores na Feira Francal 2019, maior evento do setor calçadista brasileiro
Foto: Divulgação

O setor calçadista já está sentindo os efeitos da pandemia do novo coronavírus. Dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) obtidos em primeira mão pela CNN Brasil, mostram que 86% das fábricas estão fechadas. Com as linhas de produção paradas, 84% deram férias aos funcionários. 

Mas 52% já tiveram que demitir, deixando 15 mil pessoas desempregadas. O setor gera 270 mil empregos em polos no Sul, Sudeste e Nordeste.

O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, afirma que as empresas estão fazendo acordos para reduzir jornadas de trabalho e salários e, assim, manter os empregos, conforme permite a MP 936/2020. Mas que não tem sido o suficiente.

“Assim como outros setores, estamos passando por momentos de incertezas. Sabemos que a liberação do comércio é de responsabilidade das autoridades competentes, porém para que as indústrias possam retomar suas produções, precisamos que os lojistas efetuem pedidos”, explica.

Apenas no mês de março, a produção caiu 40% na comparação com o ano passado, o que significa que as indústrias deixaram de fabricar 30 milhões de pares. E não foi somente a demanda interna que diminuiu. As exportações caíram 2% em volume e 11,2% em receita. E a previsão para o primeiro trimestre é ainda pior.

“Calculamos que as vendas para o exterior vão encolher 20% em volume”, conclui Ferreira.