Com juros em 2%, fundos de renda fixa têm saques de mais de R$ 25 bilhões no ano

Em contrapartida, fundos multimercados já receberam mais de R$ 100 bilhões de aportes até novembro, de acordo com levantamento da Economatica

Raphael Coraccini, colaboração para CNN Brasil Business
07 de dezembro de 2020 às 05:00
Investimentos
Investimentos
Foto: Christine Roy / Unplash

No mês de novembro, o patrimônio líquido dos fundos de investimento cresceu 1,85%, de acordo com levantamento da Economatica com base nos dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O avanço foi puxado pelos fundos de índices (ou ETF's, na sigla em inglês) com crescimento de 17,4%, seguidos pelos fundos de ações com alta de 12,65%. Por sua vez, os fundos de renda fixa tiveram queda de 0,4% no patrimônio líquido. 

A alta de 1,85% se deu mais por valorização dos ativos do que pela entrada de dinheiro novo. Isso porque no mês a captação líquida total ficou negativa em R$ 16,69 bilhões. Ou seja, os investidores sacaram mais do que aportaram recursos no mês.

Leia também:
Puxado por Azul, PetroRio e Gol, Ibovespa tem o 2º melhor novembro da história
Dólar a R$ 4,25 em 2021? É o que prevê o BNP Paribas

O movimento de saques foi maior nos fundos de renda fixa que viram R$ 18,78 bilhões irem embora em novembro, seguidos pelos fundos de ações com queda de R$ 1,49 bilhão. Já os que atraíram mais investimentos foram os fundos multimercado com captação líquida positiva de R$ 1,3 bilhão e os fundos de previdência que tiveram aportes líquidos de R$ 1,1 bilhão. 

Aliás, os fundos multimercados registram a maior captação líquida do ano com a entrada de R$ 100,8 bilhões, enquanto os fundos de renda fixa lideram o ranking de saídas de recursos com saques líquidos de R$ 25,7 bilhões. 

 

Renda fixa 

Em outubro, os fundos dessa categoria já haviam registrado importante fuga de capital, com captação líquida negativa de R$ 51,4 bilhões. Em novembro, mais R$ 18,7 bilhões foram retirados dos fundos de renda fixa, com destaque para os Duração Baixa - Grau de Investimento, com queda de R$ 8,25 bilhões na captação líquida.

Outras categorias

Pelo terceiro mês consecutivo, o patrimônio dos fundos multimercado registra crescimento, com aumento de 1,57% em novembro, acima dos resultados de setembro (0,13%) e outubro (0,52%). A captação dos fundos multimercado no mês de novembro cresceu pelo sétimo mês consecutivo, com acréscimo de R$ 1,3 bilhão em novembro.

O carro-chefe em captação líquida foram os fundos multimercado livre com R$ 4,51 bilhões, seguidos pelos multimercados juros e moedas com R$ 437,1 milhões. Na contramão, estão os fundos multimercado macro com queda de R$ 2,24 bilhões e multimercados investimento no exterior com queda de R$ 1,22 bilhão -- que têm o melhor desempenho pois na mediana valorizaram 2,55%. 

Já os fundos de previdência registram crescimento do patrimônio de 1,22% e fecham novembro com R$ 973,6 bilhões de patrimônio. Em novembro, a captação líquida consolidada dos fundos de previdência foi de R$ 1,10 bilhão. Fundos cambiais, por sua vez, apontaram crescimento de patrimônio de 2,04% no mês passado e tiveram captação líquida de R$ 576,6 milhões.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook