Dólar tem maior alta mensal desde março; Ibovespa cai 3,3% em janeiro

O dólar subiu 0,77%, a R$ 5,4786 na venda nesta sexta-feira. A moeda oscilou entre R$ 5,507 (+1,30%) e R$ 5,4222 (-0,26%)

Manuela Tecchio e Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo
29 de janeiro de 2021 às 09:18 | Atualizado 29 de janeiro de 2021 às 18:29
Aplicação da vacina contra Covid-19 em São José dos Campos, no estado de São Paulo
Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo (27.2021) 

O cenário de incertezas no Brasil e no exterior fez o Ibovespa despencar 3,21% nesta sexta-feira, a 115.067 pontos. Com o resultado, a Bolsa teve queda de 3,31% em janeiro. 

O dólar subiu 0,77%, a R$ 5,4786 na venda nesta sexta-feira. A moeda oscilou entre R$ 5,507 (+1,30%) e R$ 5,4222 (-0,26%). 

Em janeiro, a moeda saltou 5,53%, maior alta mensal desde março de 2020 (+15,92%), no estouro da pandemia de Covid-19. A valorização ocorreu após dois meses seguidos de perdas: de 2,90% em dezembro e 6,82% em novembro.

A bolsa  acompanhando o viés de baixa nos principais mercados acionários do exterior, que caíam depois que a vacina de dose única contra o coronavírus da Johnson & Johnson apresentou uma eficácia de 66% na prevenção de doenças moderadas e graves. Investidores também estão atentos a uma potencial nova greve dos caminhoneiros, que reforça a cautela antes do fim de semana.

Ao mesmo tempo, Wall Street tem enfrentado uma ação coordenada de pequenos operadores que se organizam em fóruns online, como o Reddit, para forçar fundos de hedge a reverter posições vendidas em empresas como GameStop, Blockbuster e AMC Entertainment.

Por aqui, investidores tentaram repetir o movimento com as ações do IRB (IRBR3). Ontem, os papéis da resseguradora dispararam 18%. Nesta sexta, as ações da empresa caíram 6,13%.

A B3 (B3SA3) informou hoje que fará leilões do papel nesta sexta para promover "uma melhor formação de preços com base em todas as ofertas de compra e venda disponíveis no mercado, resultando em maior proteção aos investidores".

Um fator de preocupação para os investidores brasileiros é a possibilidade de uma greve dos caminhoneiros, confirmada na véspera pelos sindicatos. Em meio à pandemia de Covid-19, a paralisação pode gerar problemas de logística e agravamento da crise econômica.

No cenário político, o presidente Jair Bolsonaro negou a intenção de demitir o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, conforme havia indicado o vice-presidente Hamilton Mourão e, em conversa com apoiadores, fez questão de falar que cabe a ele a troca dos seus ministros. 

Bolsonaro também sugeriu que se volte a viver, sorrir, fazer piada, brincar e voltar aos estádios de futebol, justamente no dia em que o Brasil superou a marca de 9 milhões de casos de Covid-19 e mais de 221.574 mortes por causa da doença.

Em relação à economia, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, alertou que o risco de crescimento não tão robusto no curto prazo, com inflação em alta, é o maior desafio da equipe econômica. 

Bolsas internacionais

Os índices acionários dos Estados Unidos caíram nesta sexta-feira, concluindo a pior semana desde outubro, com investidores avaliando desdobramentos dos resultados de testes da vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19, enquanto um impasse entre fundos hedge de Wall Street e pequenos investidores de varejo adicionou volatilidade.

O Dow Jones recuou 2,03%, para 29.982,62, o S&P 500 perdeu 1,93%, para 3.714 pontos, e o Nasdaq desvalorizou-se 2%, para 13.070 pontos.

As ações europeias caíram nesta sexta-feira e registraram seu pior desempenho semanal desde outubro, em meio a preocupações em torno da distribuição lenta de vacinas contra a Covid-19 e depois que um frenesi no trading de varejo balançou Wall Street.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,95%, a 1.524 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,87%, a 396 pontos, devolvendo todos os ganhos de janeiro e fechando a semana com queda de 3,1%.

Na China, as ações registraram perda semanal de mais de 3% nesta sexta-feira (29), já que as preocupações com as condições de liquidez apertadas afetaram o sentimento.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,47%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,63%.

(Com Reuters)