Abandonar carrinho em e-commerce pode ser estratégia para ter desconto; entenda

Que atire a primeira URL quem nunca encheu um carrinho de uma loja online e optou por não realizar as compras

Carrinho de compras; e-commerce
Carrinho de compras; e-commerce Foto: the_burtons / Getty Images

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

 

Que atire a primeira URL quem nunca encheu um carrinho virtual, mas desistiu das compras — ou quem simplesmente faz isso por hobby.

Alguns internautas mais atentos já perceberam que essa prática pode render descontos, apesar de não funcionar para todos os sites, segundo especialistas ouvidos pelo CNN Brasil Business.

“A aplicação de um valor mais barato como estratégia em resposta ao carrinho abandonado é uma boa prática que utilizamos no mercado de e-commerce, mas não é algo que todas as lojas são obrigadas a aplicar. Então não é uma garantia que colocar as compras no carrinho e voltar só no dia seguinte vá resultar em descontos”, explica Thiago Sarraf, fundador da Dr. e-commerce.

Segundo Sarraf, existe “um custo de aquisição por cada cliente que entra na loja online” e, muitas vezes, o estabelecimento acaba enviando um e-mail com descontos para o cliente que deixou um carrinho abandonado na loja. Para a empresa, é mais vantajoso fazer isso em vez de simplesmente deixar o cliente ir embora. 

“Oferecer descontos é uma forma de muitos marketplaces conseguirem reverter e estimular a compra, entendendo que você está em dúvida sobre”, diz Zoë Povoa, fundadora da OZLLO. “Financeiramente faz sentido, dado que é mais barato reverter um cliente indeciso do que reverter um novo cliente”, afirma.

Mas, para Sarraf, abandonar o carrinho e conseguir o desconto uma vez não significa que isso acontecerá sempre. “Fazer esta prática do ‘falso’ abandono de carrinho, vamos chamar assim, pode garantir algum tipo de desconto para o consumidor, mas pode não resultar em nada. A estratégia vai variar de loja para loja”, afirma. “Mas, pelo ponto de vista do consumidor, não custa tentar”, diz. 

Tópicos

Mais Recentes da CNN