Alumínio bate máxima da década após golpe na Guiné ameaçar abastecimento

O preço dos futuros do alumínio na Bolsa de Metais de Londres subiu 1,8% para US $ 2.775,50 por tonelada métrica nesta segunda-feira

Julia Horowitzdo CNN Brasil Business

Londres

Ouvir notícia

Os preços do alumínio atingiram seu nível mais alto em mais de uma década após um golpe na Guiné, um importante fornecedor do principal minério usado para produzir o metal.

O preço dos futuros do alumínio na Bolsa de Metais de Londres subiu 1,8% para US $ 2.775,50 por tonelada métrica na segunda-feira (6) depois que a turbulência política estourou no país da África Ocidental no fim de semana, quando um oficial militar divulgou uma declaração de que a constituição do país havia sido dissolvido.

Um assessor do presidente Alpha Conde disse à CNN que Conde estava preso e que havia ocorrido um golpe.

Os preços do alumínio já haviam disparado este ano. Um salto na demanda pelo metal coincidiu com cortes de produção na China, que busca reduzir as emissões de carbono da indústria pesada e está lidando com a escassez de energia.

Os preços mais altos podem repercutir na economia global em um momento em que os legisladores estão preocupados com a inflação .

O alumínio é um componente-chave de uma ampla gama de produtos, de carros a smartphones e sistemas de energia.

A agitação na Guiné aumenta a pressão sobre o mercado. O país é o segundo maior produtor de bauxita do mundo, depois da Austrália.

Mais importante ainda, fornece mais da metade do minério importado pela China, que é o maior produtor mundial de alumínio

“Os militares fecharam as fronteiras terrestres e aéreas, então espero que isso possa levar a algumas interrupções”, disse Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities do ING.

Eric Humphery-Smith, analista da empresa de inteligência de risco Verisk Maplecroft, prevê que “as operações provavelmente permanecerão fechadas nos próximos dias e possivelmente semanas”.

“As mineradoras agora têm pouca opção a não ser esperar e esperar mais esclarecimentos das autoridades de transição”, disse ele em nota aos clientes na segunda-feira.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original.)

Mais Recentes da CNN