Arrecadação federal sobe 4,13% em maio, a R$ 165,3 bilhões, recorde para o mês

Segundo a Receita, trata-se do melhor desempenho arrecadatório desde 2000, tanto para o mês de maio quanto para o período acumulado

Fabrício Juliãodo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

A Receita Federal informou que teve arrecadação de R$ 165.333 bilhões em maio de 2022, alta de 4,13% em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

O resultado foi o maior para o mês da série histórica da Receita corrigida pela inflação, iniciada em 1995.

De janeiro a maio, a arrecadação federal total foi de R$ 908.551 bilhões, avanço de 9,75%. Segundo o Ministério da Economia, trata-se do melhor desempenho arrecadatório desde 2000, tanto para o mês de maio quanto para o período acumulado.

Em abril, o recolhimento de impostos e contribuições foi de R$ 195.085 bilhões – segundo mês de maior arrecadação do ano, somente atrás de janeiro, quando foram recolhidos 235.321 bilhões.

“O acréscimo observado no período pode ser explicado, principalmente, pelo crescimento dos recolhimentos, principalmente de IRPJ (Imposto sobre a renda das pessoas jurídicas) e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido)”, destacou o comunicado.

A Receita Previdenciária teve arrecadação de R$ 43.521 bilhões, com acréscimo real de 9,42%, enquanto os tributos PIS/Pasep e Cofins apresentaram, no conjunto, uma arrecadação de 32.302 bilhões, crescimento real de 5,77%.

Já o IRRF – Rendimentos de Capital – teve arrecadação de R$ 5.807 milhões, com acréscimo real de 59,48%. A Receita pontuou que o resultado pode ser explicado pelos acréscimos nominais de 292,92% na arrecadação do item “Fundos de Renda Fixa”, e de 159,02% na arrecadação do item “Aplicação de Renda Fixa (PF e PJ)”.

*Com informações da Reuters

 

Mais Recentes da CNN