Banco Central da Argentina eleva juros a 48%, no quinto aumento de 2022

Movimento por parte da instituição ocorre após a publicação dos dados de inflação do país em abril

Autoridade também anuncia a elevação dos rendimentos das Letras de Liquidez (Leliq)
Autoridade também anuncia a elevação dos rendimentos das Letras de Liquidez (Leliq) REUTERS/Enrique Marcarian

Matheus Andrade, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O Banco Central da República Argentina (BCRA) elevou na quinta-feira (12) a taxa de juros do país de 47% a 48%, no que é o quinto aumento de taxas em 2022.

Em comunicado, autoridade também anuncia a elevação dos rendimentos das Letras de Liquidez (Leliq) de 47% a 49%, representando uma taxa efetiva anual de 61,8%. Os movimentos ocorrem a pós a publicação dos dados de inflação do país em abril.

“As atuais condições financeiras internacionais e o comportamento recente dos mercados de commodities sugerem que uma certa estabilidade nos preços das matérias-primas pode ter sido alcançada”, avalia a autoridade.

“O BCRA continuará monitorando a evolução dos preços e avaliará a reversão do viés da política monetária tão logo se consolide a trajetória de queda da taxa de inflação“, diz o documento.

O banco central espera que a inflação nos próximos meses siga caindo gradualmente.

Índice de Preços ao Consumidor

Dados do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec) divulgados na quinta-feira mostram que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do país no confronto mensal teve alta de 6% em abril – uma desaceleração após aumento de 6,7% em março.

Já na comparação anual, houve avanço de 58%, uma aceleração ante os 55,1% de março, segundo o Indec.

Mais Recentes da CNN