BCE: inflação na zona do euro começará a arrefecer gradualmente em janeiro

Segundo BCE, as expectativas de inflação na zona do euro já começam a se realinhar com a meta de 2% estabelecida pela autoridade monetária

Segundo Schnabel a nova estratégia leva em conta o fato de a taxa de juros de equilíbrio ter caído nas últimas décadas, pressionada por forças estruturais
Segundo Schnabel a nova estratégia leva em conta o fato de a taxa de juros de equilíbrio ter caído nas últimas décadas, pressionada por forças estruturais Natalia Flach

André Marinho, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Dirigente do Banco Central Europeu (BCE), Isabel Schnabel projetou nesta quarta-feira (24) que a inflação na zona do euro começará a arrefecer “gradualmente” em janeiro de 2022, à medida que gargalos na cadeia produtiva percam força.

A previsão foi feita durante participação em evento organizado pela Universidade de Sofia, na Bulgária.

Schnabel explicou que a reabertura das economias após as restrições impostas pela pandemia ocorreu de forma mais rápida do que economistas esperavam. Segundo ela, isso trouxe dificuldades para que empresas aumentassem a oferta para fazer frente à demanda.

Expectativas

Ele destacou que as expectativas de inflação na zona do euro já começam a se realinhar com a meta de 2% estabelecida pela autoridade monetária.

Para ela, isso sugere que a região está se afastando do cenário de estagflação, isto, período longo de crescimento econômico anêmico e inflação em alta.

No evento virtual promovido pela Universidade de Sofia, Schnabel explicou o resultado da revisão estratégica da política monetária do BCE, divulgada em julho.

Segundo ela, a nova estratégia leva em conta o fato de a taxa de juros de equilíbrio ter caído nas últimas décadas, pressionada por forças estruturais.

Mais Recentes da CNN