BNDES contrata consórcio para elaborar projeto de conclusão de Angra 3

A usina tem previsão de entrar em operação no final de 2026

Obras da usina termonuclear Angra 3, em Angra dos Reis (RJ)
Obras da usina termonuclear Angra 3, em Angra dos Reis (RJ) Foto: Eletrobras/ Eletronuclear/ Reprodução

Marta Nogueira, da Reuters

Ouvir notícia

 O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assinou contrato com o consórcio Angra Eurobras NES para a estruturação do projeto de retomada e conclusão das obras da usina nuclear de Angra 3, no Rio de Janeiro, informou o banco de fomento nesta terça-feira (29).

Formado pelas empresas Tractebel Engineering (líder) e Empresários Agrupados Internacional, o consórcio terá a atribuição de definir a projeção dos investimentos necessários à implementação do projeto, o cronograma detalhado da obra e a especificação de como se dará a contratação de uma ou mais construtoras para a realização dos trabalhos.

 

Iniciada em 1984, a construção da unidade pela Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, foi interrompida duas vezes –a última em 2015, quando pouco mais de 60% do empreendimento já tinha sido concluído.

Atualmente, a entrada em operação de Angra 3 está prevista para o fim de 2026, com capacidade para gerar mais de 10 milhões de MWh por ano, energia suficiente para atender aproximadamente 6 milhões de residências.

A Eletronuclear, assim como a subsidiária Itaipu, deixarão de ser subsidiárias da Eletrobras, que será privatizada. O governo criará uma nova estatal que irá reunir as duas empresas.

Mais Recentes da CNN