Brasil deve criar mais de 560 mil empregos temporários até o fim de 2021

Segundo associação do setor, o número é 20% maior do que o ano passado

Rayane Rochada CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

As datas comemorativas do Dia das Crianças, “Black Friday”, Natal e Ano Novo devem impulsionar os setores produtivos no Brasil com alta na contratação de novos funcionários.

A expectativa é de que mais de 565 mil vagas de emprego temporárias sejam criadas no país até o final do ano, a começar pelo próximo mês. O número é superior ao índice registrado em 2020, quando 471.300 ofertas foram geradas.

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e a flexibilização das medidas de restrição em virtude da doença, cerca de 20% da demanda deve crescer em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

A previsão é da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem), responsável por representar as agências do ramo.

Para Marcos de Abreu, presidente da Asserttem, o cenário do próximo trimestre deve trazer mais confiança para os contratantes.

“Esse crescimento decorre da diminuição do medo das empresas com relação às novas contratações. Essas incertezas estão diminuindo, porque as demonstrações de interesse de compra dos consumidores estão aumentando”, explica.

A perspectiva é de que o aumento seja percebido, em especial, pela indústria.

Sozinha, pode ser responsável por cerca de 60% da alta na demanda trabalhista. Logo em seguida, também aparecem em destaque as categorias de serviços (25%) e comércio (15%).

Mesmo com a conjuntura positiva, Marcos de Abreu observa que os empresários seguem comedidos.

“As empresas estão contratando como temporários e não como efetivos, porque elas não sabem qual será o tamanho desse crescimento. Se vai realmente surpreender ou se vai ser cauteloso”, alega.

Diante das circunstâncias ainda um pouco imprecisas por conta da pandemia, Marcos chama a atenção para a dinâmica desse modelo de trabalho.

“O fato é que as empresas que conhecem a modalidade temporária, se arriscam mais. Elas não precisam manter um quadro rígido. Contratam e demitem de acordo com a necessidade transitória, porque o funcionário efetivo é muito mais burocrático e importante”, acrescenta.

No entanto, apesar de temporárias, o presidente da associação afirma que as vagas ofertadas para as próximas datas festivas podem ser uma porta de entrada para quem busca um emprego de longa duração.

“A empresa pode convencer esse trabalhador a qualquer momento a se tornar um efetivo. As efetivações de temporários cresceram mais de 22% em 2021. É provável que seja uma ótima oportunidade desses empregadores se tornarem efetivos, passando, antes, um tempo como temporários”, finaliza.

Mais Recentes da CNN